Acesso Restrito
Array
(
    [0] => 1
    [i_empresa] => 1
    [1] => 762
    [i_conteudo] => 762
    [2] => 0
    [i_subarea] => 0
    [3] => 2021-12-03
    [dt_conteudo] => 2021-12-03
    [4] => VI Congresso Brasileiro de Carvão Mineral se encerra com compromisso para uma indústria descarbonizada
    [titulo] => VI Congresso Brasileiro de Carvão Mineral se encerra com compromisso para uma indústria descarbonizada
    [5] => Lucas Jorge - Assessoria de Imprensa SATC/ABCM
    [autor] => Lucas Jorge - Assessoria de Imprensa SATC/ABCM
    [6] => Congresso reuniu pesquisadores e especialistas durante uma semana para discutir as pesquisas sobre o mineral
    [resumo] => Congresso reuniu pesquisadores e especialistas durante uma semana para discutir as pesquisas sobre o mineral
    [7] => 

O VI Congresso Brasileiro de Carvão Mineral (CBCM) chegou ao fim nesta sexta-feira (3) deixando como mensagem a promessa de uma indústria carbonífera com o objetivo de mitigar como concessão de CO2. Durante os cinco dias de evento, pesquisas e projetos voltados para a utilização da Captura e Armazenamento de Carbono (CCS) foram o destaque nos debates e palestras do CBCM. Entre especialidade e pesquisa a mensagem da mesma maneira: O carvão pode e será o combustível fóssil descarbonizado.

“Nos próximos anos, vamos ter muitas oportunidades para pesquisadores, alunos e professores para desenvolvimento e implantação de Captura de CO2. O Brasil vai precisar de fóssil, vide a crise hídrica, e o fóssil descarbonizado é com CCS. Temos que incorporar indústria e academia para discutir como implantar essa tecnologia no Brasil. Por isso a indústria carbonífera tem levantado como nós e estamos ligando essas políticas ao carvão ”, explicou o presidente da Associação Brasileira de Carvão Mineral (ABCM), Fernando Luiz Zancan.

Além das tecnologias para captura de carbono, outras pesquisas foram levantadas, como a produção de outros produtos derivados do carvão mineral e técnicas para recuperação ambiental de áreas. “No Brasil a gente já vê essas pesquisas como importantes desde 2007. Avançamos na área de gaseificação, temos programas de modernização das térmicas e carvão com biomassa”, ressaltou Zancan.

Visitas técnicas marcam último dia

Com o congresso sendo feito de modo online, esta sexta-feira (3), foram realizadas visitas técnicas. Através de vidas e vídeos os participantes conhecer um pouco mais sobre a cadeia produtiva, pesquisas e geração de energia através do carvão mineral. As visitas feitas na Copelmi Mineração, Braskem e na Satc.

“O Congresso foi muito importante, atendeu os objetivos, trouxe trabalhos de ótima qualidade com as pesquisas que foram feitas e ficou claro o caminho que a indústria tem que tomar, além das rotas de pesquisas, a questão da siderurgia e novos produtos ao carvão. Ainda, produzimos uma carta ao presidente da república, no sentido de mostrar a importância da indústria e incentivar a pesquisa e inovação do carvão mineral.

Ao fim do evento de encerramento foi anunciado que o próximo Congresso será realizado na cidade de Criciúma / SC em 2023.

[conteudo] =>

O VI Congresso Brasileiro de Carvão Mineral (CBCM) chegou ao fim nesta sexta-feira (3) deixando como mensagem a promessa de uma indústria carbonífera com o objetivo de mitigar como concessão de CO2. Durante os cinco dias de evento, pesquisas e projetos voltados para a utilização da Captura e Armazenamento de Carbono (CCS) foram o destaque nos debates e palestras do CBCM. Entre especialidade e pesquisa a mensagem da mesma maneira: O carvão pode e será o combustível fóssil descarbonizado.

“Nos próximos anos, vamos ter muitas oportunidades para pesquisadores, alunos e professores para desenvolvimento e implantação de Captura de CO2. O Brasil vai precisar de fóssil, vide a crise hídrica, e o fóssil descarbonizado é com CCS. Temos que incorporar indústria e academia para discutir como implantar essa tecnologia no Brasil. Por isso a indústria carbonífera tem levantado como nós e estamos ligando essas políticas ao carvão ”, explicou o presidente da Associação Brasileira de Carvão Mineral (ABCM), Fernando Luiz Zancan.

Além das tecnologias para captura de carbono, outras pesquisas foram levantadas, como a produção de outros produtos derivados do carvão mineral e técnicas para recuperação ambiental de áreas. “No Brasil a gente já vê essas pesquisas como importantes desde 2007. Avançamos na área de gaseificação, temos programas de modernização das térmicas e carvão com biomassa”, ressaltou Zancan.

Visitas técnicas marcam último dia

Com o congresso sendo feito de modo online, esta sexta-feira (3), foram realizadas visitas técnicas. Através de vidas e vídeos os participantes conhecer um pouco mais sobre a cadeia produtiva, pesquisas e geração de energia através do carvão mineral. As visitas feitas na Copelmi Mineração, Braskem e na Satc.

“O Congresso foi muito importante, atendeu os objetivos, trouxe trabalhos de ótima qualidade com as pesquisas que foram feitas e ficou claro o caminho que a indústria tem que tomar, além das rotas de pesquisas, a questão da siderurgia e novos produtos ao carvão. Ainda, produzimos uma carta ao presidente da república, no sentido de mostrar a importância da indústria e incentivar a pesquisa e inovação do carvão mineral.

Ao fim do evento de encerramento foi anunciado que o próximo Congresso será realizado na cidade de Criciúma / SC em 2023.

[8] => [palavra_chave] => [9] => S [publica] => S [10] => 0 [i_usuario] => 0 [11] => 2021-12-03 21:32:29 [dt_sistema] => 2021-12-03 21:32:29 [12] => [foto] => [13] => [capa] => )

VI Congresso Brasileiro de Carvão Mineral se encerra com compromisso para uma indústria descarbonizada

03/12/2021

Lucas Jorge - Assessoria de Imprensa SATC/ABCM

O VI Congresso Brasileiro de Carvão Mineral (CBCM) chegou ao fim nesta sexta-feira (3) deixando como mensagem a promessa de uma indústria carbonífera com o objetivo de mitigar como concessão de CO2. Durante os cinco dias de evento, pesquisas e projetos voltados para a utilização da Captura e Armazenamento de Carbono (CCS) foram o destaque nos debates e palestras do CBCM. Entre especialidade e pesquisa a mensagem da mesma maneira: O carvão pode e será o combustível fóssil descarbonizado.

“Nos próximos anos, vamos ter muitas oportunidades para pesquisadores, alunos e professores para desenvolvimento e implantação de Captura de CO2. O Brasil vai precisar de fóssil, vide a crise hídrica, e o fóssil descarbonizado é com CCS. Temos que incorporar indústria e academia para discutir como implantar essa tecnologia no Brasil. Por isso a indústria carbonífera tem levantado como nós e estamos ligando essas políticas ao carvão ”, explicou o presidente da Associação Brasileira de Carvão Mineral (ABCM), Fernando Luiz Zancan.

Além das tecnologias para captura de carbono, outras pesquisas foram levantadas, como a produção de outros produtos derivados do carvão mineral e técnicas para recuperação ambiental de áreas. “No Brasil a gente já vê essas pesquisas como importantes desde 2007. Avançamos na área de gaseificação, temos programas de modernização das térmicas e carvão com biomassa”, ressaltou Zancan.

Visitas técnicas marcam último dia

Com o congresso sendo feito de modo online, esta sexta-feira (3), foram realizadas visitas técnicas. Através de vidas e vídeos os participantes conhecer um pouco mais sobre a cadeia produtiva, pesquisas e geração de energia através do carvão mineral. As visitas feitas na Copelmi Mineração, Braskem e na Satc.

“O Congresso foi muito importante, atendeu os objetivos, trouxe trabalhos de ótima qualidade com as pesquisas que foram feitas e ficou claro o caminho que a indústria tem que tomar, além das rotas de pesquisas, a questão da siderurgia e novos produtos ao carvão. Ainda, produzimos uma carta ao presidente da república, no sentido de mostrar a importância da indústria e incentivar a pesquisa e inovação do carvão mineral.

Ao fim do evento de encerramento foi anunciado que o próximo Congresso será realizado na cidade de Criciúma / SC em 2023.

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351