Acesso Restrito

Tereza Cristina ganha prêmio por inovação

27/10/2007

     A Ferrovia Tereza Cristina desenvolveu um método para reduzir os custos de manutenção dos vagões e os danos que podem ser causados ao meio ambiente com o transporte de carvão mineral. Três vagões que usam plástico reciclado nas laterais -substituindo o revestimento la- teral que era em madeira de lei - e no assoalho (antes feito de chapa de aço) já estão circulando há um ano e meio. Outras 22 unidades serão confeccionados até de março de 2008.

     O projeto do "vagão de plástico" foi desenvolvido pela equipe de manutenção de vagões da Ferrovia Tereza Cristina, sob a orientação do engenheiro Abel Passagnolo Sergio, e obteve a 2ª colocação no 5º Prêmio Amsted-Maxion de Tecnologia Ferroviária, entregue no dia 23 de outubro durante a feira Negócios Nos Trilhos em São Paulo. A idéia, que une os conceitos de preservação ao meio ambiente e baixo custo de manutenção, concorreu com projetos desenvolvidos por ferrovias e universitários de todo o país.

 

Vida útil maior para os vagões

 

     O tempo de vida útil do material foi consideravelmente ampliado, preservando os recursos naturais.

     Os principais benefícios da substituição incluem a melhoria na retenção da carga, impedindo vazamentos de água e resíduos de carvão pelos encaixes ou pelo rompimento de tábuas. Além disso, diminui o custo de manutenção para a empresa, reduz o tempo de descarga do carvão e aumenta a possibilidade de reciclar os rejeitos.


A Tribuna

Criciúma/SC

Economia

27 e 28/10/2007

    Somos associados

     

  • CIAB
  • epe
  • World Coal Association
  • Global CCS Institute

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351