Acesso Restrito

Projeto para fazer diesel de carvão

24/10/2007

     Depois de sediar a única planta piloto para o estudo da drenagem ácida de mina no Brasil, Criciúma poderá abrigar mais um projeto importante: a transformação de carvão em diesel. Segundo a senadora Ideli Salvatti, presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Carvão Mineral, um estudo realizado pelo Centro de Pesquisa da Petrobras atestou a possibilidade técnica de o Brasil produzir 300 mil barris ao dia de diesel a partir de carvão mineral existente nas reservas de Santa Catarina e Rio Grande do Sul por mais de 50 anos. A senadora afirma que a Petrobras garantiu que iniciará os estudos sobre a viabilidade econômica do projeto.

 

Jazidas sob análise

 

     Segundo Fernando Zancan, secretário-executivo do Sindicato da Indústria de Extração de Carvão do Estado de Santa Catarina (Siecesc), a planta piloto será instalada em Criciúma ou em um município gaúcho. O fator determinante para a escolha do local para a instalação do projeto será o resultado das análises das jazidas e do carvão dos candidatos. Caso seja instalada em Criciúma, a planta piloto fará parte do Centro de Tecnologia em Carvão da Satc. O centro tecnológico fará a gaseificação do carvão mineral, e esse produto poderá ser liquefeito e transformado em diesel ou lubrificantes de alto valor agregado.

 

Parceiros no

empreendimento

 

     O empreendimento será uma parceria entre Satc, Associação Brasileira de Carvão Mineral (ABCM), Centro de Pesquisa da Petrobras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC/RS) e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). O protocolo de intenções para a viabilização do centro pode ser assinado ainda este ano. Segundo Ideli, o diesel fabricado através do carvão é de qualidade superior ao do produzido a partir do petróleo e tem um valor de mercado bem mais elevado. A partir da aprovação do projeto de viabilidade econômica, em cerca de três anos a produção do diesel deve ser iniciada.

 

Técnica foi desenvolvida durante a segunda guerra

 

     A fabricação de diesel a partir de carvão foi desenvolvida na Segunda Guerra Mundial pelos alemães.

     Utilizada atualmente por países como África do Sul, Índia (países com os quais o Brasil poderá fazer intercâmbio da tecnologia para liquefação do carvão), China e Estados Unidos, a transformação de carvão em diesel pode ser uma alternativa ao petróleo. Segundo Zancan, essa alternativa começou a ser pensada sobretudo após a alta do petróleo, que custando atualmente entre US$ 50 e US$ 60 o barril, chegou a US$ 90.

     Para o setor carbonífero da região Sul do Estado, a produção de diesel a partir de carvão significará um outro mercado para o minério. "O setor trabalha para buscar novas tecnologias para a fabricação de tudo que se pode fazer com o carvão de maneira sustentável. Esse projeto está na linha de valorização do carvão", diz.


A Tribuna

Criciúma/SC

Economia

24/10/2007

 

    Somos associados

     

  • CIAB
  • epe
  • World Coal Association
  • Global CCS Institute

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351