Acesso Restrito

GTA realiza reunião para elaboração do 4º Relatório de Indicadores Ambientais

22/04/2010

A 10ª Reunião do Grupo Técnico de Assessoramento (GTA) terá como um dos principais objetivos a verificação do andamento do 4º Relatório de Monitoramento dos Indicadores Ambientais. O cumprimento das metas estabelecidas e o cronograma dos trabalhos serão apresentados por técnicos do Siecesc, assim como um levantamento das bocas de minas abandonadas existentes em toda a Bacia Carbonífera. Estes e outros assuntos serão tratados na próxima sexta-feira, dia 23, das 8h30min às 17 horas, no auditório V da Satc. A reunião terá as presenças do juiz Marcelo Cardozo da Silva e do procurador da República, Darlan Airton Dias.

 

Em conjunto, todos os técnicos do GTA realizarão análises para, posteriormente, encaminhar a elaboração do 4º Relatório, que será entregue ao Juízo no início de outubro. Segundo o coordenador do Núcleo de Meio Ambiente do Centro Tecnológico de Carvão Limpo (CTCL) da Satc, engenheiro Márcio Zanuz, serão atualizados os dados de monitoramento. "Nosso objetivo é mostrar os resultados, traçar metas e discutir o conteúdo do relatório", analisa o coordenador. Além destes temas, durante a reunião será apresentado o site da Ação Civil Pública na internet pelo juiz Marcelo Cardozo da Silva. Este site terá o intuito de disponibilizar dados e mapas para informar detalhadamente sobre as áreas em processo de recuperação. "A ideia é que os envolvidos na sentença insiram dados para que a população possa consultá-los", informa Zanuz.

 

O 4º Relatório é elaborado para acompanhamento da sentença, resultado da Ação Civil Pública nº 93.8000533-4, proposta em 1993, que determinou a recuperação das áreas de depósitos de rejeitos, áreas mineradas a céu aberto, minas abandonadas e dos recursos hídricos das bacias hidrográficas dos rios Tubarão, Urussanga e Araranguá. O GTA reúne representantes do MPF, União, empresas e órgãos importantes para o processo de recuperação ambiental.

 

Mapeadas 831 bocas de minas abandonadas

 

Um dos resultados mais aguardados na reunião está relacionado ao levantamento de bocas de minas abandonadas, elaborado pelo Núcleo de Meio Ambiente do CTCL, em parceria com as empresas carboníferas. Entre os meses de dezembro de 2009 e março de 2010 foram consolidados os dados relativos a 831 bocas de minas em toda a Bacia Carbonífera. O resultado será apresentado ao Ministério Público Federal (MPF), para iniciar uma tratativa com relação a elaboração do Plano de Recuperação de Área Degrada (PRAD) padrão, com o intuito de priorizar as ações de recuperação destas bocas. Do total já mapeado, 129 já tem PRAD desenvolvido pela empresa responsável. Segundo o engenheiro Ambiental do CTCL, Tiago Amboni, as bocas de minas mais difíceis de serem tratadas são aquelas com saída de água, que somam 128 entre fechadas e abertas. "Vamos propor uma forma de diminuir a drenagem, mas para isso, será necessário no mínimo um ano de caracterização, para depois propormos um sistema de fechamento", explica o engenheiro.



Informações:
Assessoria de Imprensa do Siecesc
Joice Quadros
Diene Lemos
Fones: (48) 3431-7603 ou 9984-9967

    Somos associados

     

  • CIAB
  • epe
  • World Coal Association
  • Global CCS Institute

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351