Acesso Restrito

Licença Ambiental da Usitesc será entregue

24/03/2010

Documento dá mais segurança para investidores. Obra de R$1,6 bilhão produzirá 440MV de energia

A Licença Ambiental de Instalação da Usina Termelétrica Sul Catarinense (Usitesc) será entregue hoje, às 9 horas, pelo governador Luiz Henrique da Silveira, na Casa da Agronômica. De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Carvão Mineral, Fernando Zancan, o ato coroa um trabalho desenvolvido a anos. "A licença dá garantias aos investidores que despenderem recursos", afirmou Zancan. A Usitesc vai ser instalada em Treviso e deve custar R$ 1,6 bilhão, com capacidade para 440MW de energia.

A liberação do documento pela Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma) representa que os empreendedores atenderam todos os requisitos ambientais exigidos para a implantação do projeto. Os responsáveis pela obra devem iniciar os trabalhos de construção em 2011. Um fundo de investimentos é uma parceria entre as carboníferas Metropolitana e Criciúma.

A tecnologia usada permite a queima associada de carvão de baixa qualidade, resíduos e calcário, com redução de mais de 90% nas emissões atmosféricas. A quantidade de material particulado resultante do processo, por exemplo, é equivalente a apenas 10% do limite estabelecido em legislação que é de 500 miligramas. "Isso é possível porque, além da tecnologia da combustão fluidizada, própria para a redução das emissões, utilizaremos lavadores de gases", diz o diretor Técnico da usina, José Carlos Cunha.

A matéria-prima utilizada na produção de energia é outro diferencial. O carvão queimado da Usitesc, abundante nas minas da região, é pouco competitivo para usos mais nobres, como a indústria siderúrgica. Além disso, o produto receberá adição de rejeitos, até então sem serventia e problemáticos para as empresas carboníferas da região. A adição de calcário na queima possibilitará  que resíduos do processo, como a cinza, não precisem ser descartados. Parte do material, a chamada cinza pesada, será utilizada na correção da acidez do solo da região e no fechamento de antigas minas, ajudando assim a recompor a paisagem. Já a cinza leve será destinada principalmente à fabricação de cimento.

Com a usina em operação, o consumo anual garantido será de 2,5 milhões de toneladas de minério. A expectativa é de que isso garanta a abertura de pelo menos 500 empregos nas minas. Cada emprego em uma mina, segundo o estudo da Fundação Getúlio Vargas, gera oito postos de trabalhos indiretos. A expectativa, portanto, seria de que o acréscimo de atividade nas minas resulte em 4,5 mil novos postos de trabalhos. A obra da Usitesc exigirá de mil a 1,2 mil empregados e a operação será feita por 200 pessoas, vários deles técnicos e engenheiros da própria região. Para o Brasil, a Usitesc contribuirá com a produção de energia em períodos de seca, nas baixas das hidrelétricas.



Jornal da Manhã
Criciúma/SC
Economia
24/03/2010

 

    Somos associados

     

  • CIAB
  • epe
  • World Coal Association
  • Global CCS Institute

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351