Acesso Restrito

CSN anuncia plano de montar primeira usina no Nordeste

27/06/2008

RECIFE - A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) pretende investir até US$ 6 bilhões em uma usina de 3,5 milhões de toneladas de aço por ano no porto de Suape, a 40 km do Recife. Em uma primeira etapa, a fábrica receberá US$ 1,3 bilhão de recursos e inicia produção de 500 mil toneladas/ano de aços longos, entrando em um segmento dominado pela Gerdau e ArcelorMittal.

 

Ontem, em uma solenidade no Palácio Campo das Princesas, na capital pernambucana, a empresa detalhou o projeto que deve instalar no Estado. De acordo com Enéas Garcia Diniz, diretor-executivo de produção da CSN, a idéia da siderúrgica é iniciar a construção da unidade daqui a um ano, com a conclusão da primeira etapa prevista para 30 meses depois. As outras duas etapas do empreendimento devem ser concretizadas em seis anos.

 

Da fábrica em Suape sairão de vergalhões a parafusos e telas. Inicialmente, segundo Diniz, o objetivo é abastecer o mercado nordestino com esses produtos. " O crescimento da região foi um dos pontos levados em consideração pela CSN ao optar por Pernambuco " , explica o executivo, que também está de olho no estaleiro Atlântico Sul, instalado ao seu lado no porto de Suape.

 

As matérias-primas para a produção do aço - carvão de diversas partes do mundo e minério de ferro da mina Casa de Pedra, em Minas Gerais - chegarão à unidade por um porto privativo que será erguido em Suape. A unidade será suprida quase que totalmente com energia gerada em uma termoelétrica da siderúrgica, a partir do carvão, dos auto-fornos e da aciaria.

 

O empreendimento ainda está numa fase bastante inicial, sem um projeto executivo finalizado. A pressa em anunciá-lo se deve ao fato de a reforma tributária do deputado federal Sandro Mabel (PR-GO), que está em andamento, barrar a concessão de incentivos fiscais estaduais para a atração de investimentos privados. O relator propõe que sejam aceitos os projetos aprovados até do dia 30 de junho e que os benefícios sejam válidos até o ano de 2020.

 

No fim da tarde, a assessoria de imprensa da CSN informou que " apenas foi firmada uma carta de intenção para iniciar estudos de análise de viabilidade para investimento em uma usina de aço em Pernambuco " . Até às 21 horas, a CSN não havia comunicado sua intenção de investimento à Comissão de Valores Mobiliários.

 

Para acelerar a decisão da empresa de abrir uma nova siderúrgica em Pernambuco - que deverá também contemplar produção de aços planos no futuro -, o governo estadual também enviou à Assembléia Legislativa um projeto de lei que dá 95% de desconto no ICMS à CSN caso o projeto de investimento seja aprovado.

 

Ao abrir mão desse imposto, o governador Eduardo Campos (PSB) afirmou que está interessado em toda a cadeia produtiva que a siderúrgica pode atrair ao Estado. " Cria um incentivo à vinda de montadoras e fabricantes de aparelhos de linha branca. " A própria CSN sinalizou que pode trazer novos empreendimentos do grupo ao Estado, como uma fábrica de cimento. No momento, a empresa instala uma cimenteira em Volta Redonda (RJ).

 

Hoje, o maior projeto que a CSN tem em Pernambuco é a ferrovia Transnordestina, que caminha a passos lentos. Segundo Diniz, ela poderá vir a ser usada para fazer o escoamento da produção. No Rio, a CSN trava uma queda de braço com o governo por incentivos para fazer uma usina em Itaguaí (RJ)

 

Uma outra siderúrgica, da espanhola Celsa, ainda tem uma carta de intenções assinada com o governo pernambucano para construir uma planta também no complexo portuário e industrial de Suape. O governador pernambucano acredita, porém, que ela deva desistir do projeto diante da chegada da CSN.

 

(Carolina Mandl | Valor Econômico)


Valor Econômico

São Paulo/SP

Siderurgia

27/06/2008

    Somos associados

     

  • CIAB
  • epe
  • World Coal Association
  • Global CCS Institute

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351