Acesso Restrito

Copel tem lucro recorde de R$ 1,1 bi

19/03/2008

Com a recuperação do campo no Paraná e o bom desempenho do comércio e indústria nas cidades, a Companhia Paranaense de Energia (Copel) alcançou o que pode ser considerado o melhor resultado de sua história, obtendo um lucro líquido de R$ 1,1 bilhão (R$ 4,04 por ação) em 2007 e uma rentabilidade no patrimônio líquido de 15,3%.

"Em 2006 houve a reversão de provisionamentos que inflaram o lucro para R$ 1,24 bilhão e, se eliminarmos isso, o lucro de 2007 foi 60% maior", disse o presidente da empresa, Rubens Ghilardi.

O executivo confirmou a busca pela empresa de novas áreas de investimento diante das dificuldades de licenças ambientais para novos projetos de geração. "No Paraná temos um potencial, hoje, de mais de 500 megawatts (MW) para produzir energia a partir de bagaço de cana-de-açúcar. Vamos entrar forte nesta área inicialmente com a produção de 120 MW em 4 térmicas de 30 MW a um custo de R$ 30 milhões cada uma", anunciou.

Ghilardi confirmou também o pedido da Copel a Anatel para a entrada no setor de telefonia fixa por meio da subsidiária Copel Telecom, o que deve acontecer até o final de 2008. "Estamos iniciando os testes de equipamentos de transmissão de voz e dados pelos cabos de energia elétrica e temos uma rede de 10 mil quilômetros de fibras óticas que cobre 80% das cidades mais importantes do Estado", informou. "Já temos autorização para a transmissão de imagens e de dados. Só falta a de voz com o que entraremos em telefonia fixa", completou. O objetivo, segundo ele, "é utilizar e conquistar a base de mais de 3, 4 milhões de clientes que a empresa já tem na área de energia".

Consumo expressivo

Segundo os dados do balanço divulgados ontem pelo presidente, a receita operacional liquida da empresa subiu 10,9% em relação a 2006 e alcançou R$ 5, 42 bilhões. O lucro operacional foi a R$ 1,62 bilhões, enquanto que o Lajida (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), alcançou a R$ 2,02 bilhões. "O que mais impulsionou nosso lucro foi o crescimento de 6,8% no consumo de energia elétrica quando comparado a 2006", disse o executivo da Copel.

No segmento comercial, o aumento foi de 9,2%; no industrial chegou a 7,5% e no residencial alcançou a 6,6%.

O item "outras receitas operacionais" também ajudou a impulsionar os resultados com um crescimento de 193%, originário principalmente da locação à Petrobras da usina térmica UEG Araucária, o que rendeu R$ 79 milhões, além do crescimento da receita de serviços O&M no montante de R$ 26 milhões.

Por tradição, a empresa paranaense distribui 25% dos seu lucro como dividendos aos acionistas e reserva 75% para novos investimentos.

Dívida pequena

A Copel possui um sistema próprio de geração formado por 17 usinas hidrelétricas e uma térmica a carvão, totalizando 4.550 MW de potência instalada. Além disso, possui disponibilidade de outros 602 MW em usinas nas quais tem participação. Seu sistema de transmissão conta com 7.352 km de linhas e 133 subestações e o de distribuição com 171.524 km de linhas.

A empresa é uma das menos endividadas do setor, apresentando 23,6% sobre o patrimônio líquido, mas teve o seu lucro reduzido em pelo menos R$ 112 milhões devido a uma sentença reformada no STJ que criou a necessidade de provisionamento deste valor pelo não recolhimento do Cofins sobre a venda de energia elétrica entre junho de 1999 a junho de 2001.


Gazeta Mercantil

São Paulo/SP

Infra-Estrutura

19/03/2008

 

    Somos associados

     

  • CIAB
  • epe
  • World Coal Association
  • Global CCS Institute

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351