Acesso Restrito

Internacional

12/03/2008

O Fed,banco central dos EUA, e seus pares na UE, Reino Unido, Suíça e Canadá anunciaram novas medidas para injetar cerca de US$ 273 bilhões no mercado e tentar aliviar o aperto no crédito. O Fed informou que disponibilizará US$ 200 bilhões em dinheiro e títulos do Tesouro para bancos e corretoras, e aceitará como garantia títulos ligados a empréstimos imobiliários. Isso foi um dos principais motivos para a alta de 3,6% da Média Dow Jones ontem.


A Sintonia,
holding da família Bennetton, informou que o fundo soberano de Cingapura, o GIC, investirá US$ 1,5 bilhão nela em troca de uma fatia de até 14,3%. A Sintonia tem investimentos em operadoras italianas de pedágio, no Aeroporto de Roma e na Telecom Italia.

O Société Générale, banco francês que teve prejuízo de US$ 7,2 bilhões com operações não autorizadas de um de seus traders, atraiu o dobro do interesse necessário para concretizar um aumento de capital de US$ 8,4 bilhões, disseram pessoas a par da questão.

O déficit comercial dos EUA aumentou 0,6% em janeiro ante dezembro, para US$ 58,2 bilhões, menos que o esperado pelos economistas. A alta de 1,6% nas exportações, impulsionadas pela desvalorização do dólar, foi ofuscada pela alta do petróleo.

O governo da China divulgou alta de 8,7% nos preços ao consumidor nos 12 meses até fevereiro, a maior inflação desde 1996. Fatores sazonais pesaram na alta, como nevascas que causaram problemas de logística responsáveis por impulsionar em 23,3% os preços da alimentação, avalia o governo.

O governo da Alemanha ordenou que a Nokia devolva subsídios fornecidos a ela para construir uma fábrica em Bochum em 1998 e 1999 e que a fabricante finlandesa de celular agora quer fechar. Segundo as autoridades, com juros, os subsídios são de quase US$ 92 milhões.

A Comissão Européia anunciou investigação em várias companhias aéreas da UE por suspeita de cartelização do mercado de vôos de longa distância. A Lufthansa, da Alemanha, e a KLM, da Air France-KLM, confirmaram as investigações, e a KLM afirmou que está cooperando com a comissão.

Autoridades antitruste da UE autorizaram a aquisição da firma americana de publicidade online DoubleClick pelo Google, por US$ 3,1 bilhões.

A Boeing prestou queixa ao governo dos EUA pelo que considera "irregularidades" na licitação para fornecer a nova geração de aviões-tanque da Força Aérea Americana, um contrato de US$ 40 bilhões que acabou indo para um consórcio entre a européia EADS e a americana Northrop Grumman, o que suscitou polêmica entre os políticos americanos.

Regional

As remessas de emigrantes para suas famílias na América Latina subiram 7% em 2007, para US$ 66,5 bilhões, informou o BID. É a menor alta da série iniciada em 2000. A culpa seria dos problemas econômicos dos EUA, maior rigor nas leis migratórias no México e melhora da economia no Brasil, para onde as remessas caíram 4%, para US$ 7,1 bilhões.

A Pemex anunciou que vai explorar um campo de gás natural a mais 900 metros de profundidade no Golfo do México, como parte de sua estratégia de substituir campos já esgotados com projetos de maior custo.

A Cerrejón, mineradora colombiana de carvão, prevê produção para exportação em 2008 de 31 milhões de toneladas, ante 29,7 milhões em 2007.

A Venezuela manteve estável a sua produção de petróleo em fevereiro, em 2,4 milhões de barris, igual ao mesmo mês em 2007, informou a Agência Internacional de Energia.

A Antofagasta, mineradora chilena, divulgou alta de 2% no lucro de 2007, de US$ 1,4 bilhão, graças à valorização das commodities, que compensou a queda na produção e os custos maiores.

O governo do Peru informou que calcula em 9,6% o crescimento econômico em janeiro, e em 8,7% o do primeiro trimestre. A agência oficial de estatísticas peruana divulgará depois de amanhã os números oficiais do PIB.


Valor Econômico

São Paulo/SP

The Wall Street Journal Americas

12/03/2008

    Somos associados

     

  • CIAB
  • epe
  • World Coal Association
  • Global CCS Institute

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351