Acesso Restrito
Array
(
    [0] => 1
    [i_empresa] => 1
    [1] => 95
    [i_conteudo] => 95
    [2] => 0
    [i_subarea] => 0
    [3] => 2013-06-20
    [dt_conteudo] => 2013-06-20
    [4] => Exploração responsável do carvão mineral será debatida pelo Conselhão de Tarso na segunda-feira
    [titulo] => Exploração responsável do carvão mineral será debatida pelo Conselhão de Tarso na segunda-feira
    [5] => Rádio Fandango
    [autor] => Rádio Fandango
    [6] => O uso do carvão mineral no Rio Grande do Sul será debatido na próxima segunda-feira (17) em reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Cdes-RS).
    [resumo] => O uso do carvão mineral no Rio Grande do Sul será debatido na próxima segunda-feira (17) em reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Cdes-RS).
    [7] => 

O uso do carvão mineral no Rio Grande do Sul será debatido na próxima segunda-feira (17) em reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Cdes-RS). Ambientalistas e empresários do setor discutirão a formulação de uma política de Estado para a exploração responsável desse recurso mineral com os órgãos governamentais. A atividade ocorrerá às 14h30, na sede do Conselhão, no Centro Administrativo Fernando Ferrari
O diretor-presidente da Fundação Estadual de Proteção ao Meio Ambiente (Fepam), Nilvo Silva, participará da atividade conjunta das câmaras temáticas do Meio Ambiente e da Indústria Naval, Petróleo, Gás Natural e Setor Energético.

A reunião ainda contará com representantes da Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e das empresas Copelmi e MPX, que, na última quarta-feira (12), assinaram protocolo de intenções com o Governo do Estado para a construção de duas usinas e uma mina no município de Candiota, garantindo a competitividade dos projetos gaúchos nos próximos leilões de energia do Governo Federal. A partir das assinaturas, está previsto o investimento de R$ 6,8 bilhões na Metade Sul.

O Estado conta com a maior reserva de carvão mineral do Brasil: cerca de 80% do total. Aproximadamente 1,5% da energia produzida no país vêm das usinas termelétricas à carvão, enquanto em alguns países essa é a principal fonte da matriz energética. Por meio do Cdes-RS, o Governo do Estado busca construir uma política para a utilização ambientalmente adequada do carvão mineral como fonte de energia.

Fonte: http://www.radiofandango.com.br/archive/valor.php?noticia=31456

 

[conteudo] =>

O uso do carvão mineral no Rio Grande do Sul será debatido na próxima segunda-feira (17) em reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Cdes-RS). Ambientalistas e empresários do setor discutirão a formulação de uma política de Estado para a exploração responsável desse recurso mineral com os órgãos governamentais. A atividade ocorrerá às 14h30, na sede do Conselhão, no Centro Administrativo Fernando Ferrari
O diretor-presidente da Fundação Estadual de Proteção ao Meio Ambiente (Fepam), Nilvo Silva, participará da atividade conjunta das câmaras temáticas do Meio Ambiente e da Indústria Naval, Petróleo, Gás Natural e Setor Energético.

A reunião ainda contará com representantes da Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e das empresas Copelmi e MPX, que, na última quarta-feira (12), assinaram protocolo de intenções com o Governo do Estado para a construção de duas usinas e uma mina no município de Candiota, garantindo a competitividade dos projetos gaúchos nos próximos leilões de energia do Governo Federal. A partir das assinaturas, está previsto o investimento de R$ 6,8 bilhões na Metade Sul.

O Estado conta com a maior reserva de carvão mineral do Brasil: cerca de 80% do total. Aproximadamente 1,5% da energia produzida no país vêm das usinas termelétricas à carvão, enquanto em alguns países essa é a principal fonte da matriz energética. Por meio do Cdes-RS, o Governo do Estado busca construir uma política para a utilização ambientalmente adequada do carvão mineral como fonte de energia.

Fonte: http://www.radiofandango.com.br/archive/valor.php?noticia=31456

 

[8] => carvão, exploração, rio grande do sul [palavra_chave] => carvão, exploração, rio grande do sul [9] => S [publica] => S [10] => 0 [i_usuario] => 0 [11] => 2013-06-20 15:02:02 [dt_sistema] => 2013-06-20 15:02:02 [12] => [foto] => [13] => [capa] => )

Exploração responsável do carvão mineral será debatida pelo Conselhão de Tarso na segunda-feira

20/06/2013

Rádio Fandango

O uso do carvão mineral no Rio Grande do Sul será debatido na próxima segunda-feira (17) em reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Cdes-RS). Ambientalistas e empresários do setor discutirão a formulação de uma política de Estado para a exploração responsável desse recurso mineral com os órgãos governamentais. A atividade ocorrerá às 14h30, na sede do Conselhão, no Centro Administrativo Fernando Ferrari
O diretor-presidente da Fundação Estadual de Proteção ao Meio Ambiente (Fepam), Nilvo Silva, participará da atividade conjunta das câmaras temáticas do Meio Ambiente e da Indústria Naval, Petróleo, Gás Natural e Setor Energético.

A reunião ainda contará com representantes da Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e das empresas Copelmi e MPX, que, na última quarta-feira (12), assinaram protocolo de intenções com o Governo do Estado para a construção de duas usinas e uma mina no município de Candiota, garantindo a competitividade dos projetos gaúchos nos próximos leilões de energia do Governo Federal. A partir das assinaturas, está previsto o investimento de R$ 6,8 bilhões na Metade Sul.

O Estado conta com a maior reserva de carvão mineral do Brasil: cerca de 80% do total. Aproximadamente 1,5% da energia produzida no país vêm das usinas termelétricas à carvão, enquanto em alguns países essa é a principal fonte da matriz energética. Por meio do Cdes-RS, o Governo do Estado busca construir uma política para a utilização ambientalmente adequada do carvão mineral como fonte de energia.

Fonte: http://www.radiofandango.com.br/archive/valor.php?noticia=31456

 

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351