Acesso Restrito
Array
(
    [0] => 1
    [i_empresa] => 1
    [1] => 91
    [i_conteudo] => 91
    [2] => 0
    [i_subarea] => 0
    [3] => 2013-06-14
    [dt_conteudo] => 2013-06-14
    [4] => Siemens prospecta boas chances para carvão no A-5
    [titulo] => Siemens prospecta boas chances para carvão no A-5
    [5] => Portal PCH
    [autor] => Portal PCH
    [6] => A Siemens acredita que os empreendimentos movidos a carvão mineral, já entram com boas chances na próxima licitação do A-5.
    [resumo] => A Siemens acredita que os empreendimentos movidos a carvão mineral, já entram com boas chances na próxima licitação do A-5.
    [7] => 

A Siemens acredita que os empreendimentos movidos a carvão mineral, já entram com boas chances na próxima licitação do A-5. Isso porque, a fonte conseguiria manter um patamar de Custo Variável Unitário (CVU) de R$105. Além disso, em conversa com outras empresas do setor, não encontrou nenhuma que tivesse a segurança para o fornecimento do gás natural.

“Acho que o carvão tem grandes chances, conseguindo manter um preço em torno de R$105. Até porque, conversando com as empresas, não encontramos ninguém que tenha a carta do gás”, apontou Ricardo Lamenza, diretor do setor de Energy da Siemens.

Para este certame, o diretor revelou que a Siemens já está sendo sondada por diversos grupos, mas nada ainda fechado. Os pedidos variam de acordo com o cliente, podendo ser de apenas uma peça para as usinas, como de um EPC inteiro, ou da power island.

Enquanto as chances melhoram para o carvão, até então fora das licitações, para a energia solar são pessimistas. A decisão mundial da Siemens é de retirada total do mercado seja fotovoltaico, ou termossolar - com a tecnologia CSP (Concentrated Solar Power).

De acordo com Lamenza, o motivo foi os baixos preços impostos pelo mercado chinês e, por conta disso, na piora da qualidade tecnológica dos equipamentos. No caso da CSP, os resultados da tecnologia no mundo baseiam a decisão da companhia.

“Virou um mercado low tech, e não está no DNA da Siemens trabalhar nesse cenário”, apontou o diretor sobre a tecnologia fotovoltaica. “No caso da CSP, o mercado global não apresentou bons resultados. Inclusive temos notado a saída dos Estados Unidos desses projetos, ingressando no shale gas. O cenário está sempre mudando, e acho que o passo solar tem que ser repensado”, conclui.

 

Fonte: http://www.portalpch.com.br/index.php/noticias-e-opniao/noticias-pch-s/960-10-06-2013-siemens-prospecta-boas-chances-para-carvao-no-a-5

[conteudo] =>

A Siemens acredita que os empreendimentos movidos a carvão mineral, já entram com boas chances na próxima licitação do A-5. Isso porque, a fonte conseguiria manter um patamar de Custo Variável Unitário (CVU) de R$105. Além disso, em conversa com outras empresas do setor, não encontrou nenhuma que tivesse a segurança para o fornecimento do gás natural.

“Acho que o carvão tem grandes chances, conseguindo manter um preço em torno de R$105. Até porque, conversando com as empresas, não encontramos ninguém que tenha a carta do gás”, apontou Ricardo Lamenza, diretor do setor de Energy da Siemens.

Para este certame, o diretor revelou que a Siemens já está sendo sondada por diversos grupos, mas nada ainda fechado. Os pedidos variam de acordo com o cliente, podendo ser de apenas uma peça para as usinas, como de um EPC inteiro, ou da power island.

Enquanto as chances melhoram para o carvão, até então fora das licitações, para a energia solar são pessimistas. A decisão mundial da Siemens é de retirada total do mercado seja fotovoltaico, ou termossolar - com a tecnologia CSP (Concentrated Solar Power).

De acordo com Lamenza, o motivo foi os baixos preços impostos pelo mercado chinês e, por conta disso, na piora da qualidade tecnológica dos equipamentos. No caso da CSP, os resultados da tecnologia no mundo baseiam a decisão da companhia.

“Virou um mercado low tech, e não está no DNA da Siemens trabalhar nesse cenário”, apontou o diretor sobre a tecnologia fotovoltaica. “No caso da CSP, o mercado global não apresentou bons resultados. Inclusive temos notado a saída dos Estados Unidos desses projetos, ingressando no shale gas. O cenário está sempre mudando, e acho que o passo solar tem que ser repensado”, conclui.

 

Fonte: http://www.portalpch.com.br/index.php/noticias-e-opniao/noticias-pch-s/960-10-06-2013-siemens-prospecta-boas-chances-para-carvao-no-a-5

[8] => Siemens, leilão A-5 [palavra_chave] => Siemens, leilão A-5 [9] => S [publica] => S [10] => 0 [i_usuario] => 0 [11] => 2013-06-14 15:39:57 [dt_sistema] => 2013-06-14 15:39:57 [12] => [foto] => [13] => [capa] => )

Siemens prospecta boas chances para carvão no A-5

14/06/2013

Portal PCH

A Siemens acredita que os empreendimentos movidos a carvão mineral, já entram com boas chances na próxima licitação do A-5. Isso porque, a fonte conseguiria manter um patamar de Custo Variável Unitário (CVU) de R$105. Além disso, em conversa com outras empresas do setor, não encontrou nenhuma que tivesse a segurança para o fornecimento do gás natural.

“Acho que o carvão tem grandes chances, conseguindo manter um preço em torno de R$105. Até porque, conversando com as empresas, não encontramos ninguém que tenha a carta do gás”, apontou Ricardo Lamenza, diretor do setor de Energy da Siemens.

Para este certame, o diretor revelou que a Siemens já está sendo sondada por diversos grupos, mas nada ainda fechado. Os pedidos variam de acordo com o cliente, podendo ser de apenas uma peça para as usinas, como de um EPC inteiro, ou da power island.

Enquanto as chances melhoram para o carvão, até então fora das licitações, para a energia solar são pessimistas. A decisão mundial da Siemens é de retirada total do mercado seja fotovoltaico, ou termossolar - com a tecnologia CSP (Concentrated Solar Power).

De acordo com Lamenza, o motivo foi os baixos preços impostos pelo mercado chinês e, por conta disso, na piora da qualidade tecnológica dos equipamentos. No caso da CSP, os resultados da tecnologia no mundo baseiam a decisão da companhia.

“Virou um mercado low tech, e não está no DNA da Siemens trabalhar nesse cenário”, apontou o diretor sobre a tecnologia fotovoltaica. “No caso da CSP, o mercado global não apresentou bons resultados. Inclusive temos notado a saída dos Estados Unidos desses projetos, ingressando no shale gas. O cenário está sempre mudando, e acho que o passo solar tem que ser repensado”, conclui.

 

Fonte: http://www.portalpch.com.br/index.php/noticias-e-opniao/noticias-pch-s/960-10-06-2013-siemens-prospecta-boas-chances-para-carvao-no-a-5

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351