Acesso Restrito
Array
(
    [0] => 1
    [i_empresa] => 1
    [1] => 672
    [i_conteudo] => 672
    [2] => 0
    [i_subarea] => 0
    [3] => 2017-06-04
    [dt_conteudo] => 2017-06-04
    [4] => Pesquisadores russos elaboram novo modo de avaliar a qualidade do carvão
    [titulo] => Pesquisadores russos elaboram novo modo de avaliar a qualidade do carvão
    [5] => Correio do Brasil - com Rússia Hoje – de Moscou
    [autor] => Correio do Brasil - com Rússia Hoje – de Moscou
    [6] => 
    [resumo] => 
    [7] => 

Os cientistas da Universidade Nacional de Ciência e Tecnologia russa (NUST MISIS) examinaram e descreveram os processos por que passa o carvão depois da sua extração do subsolo. Os resultados da análise permitem ter uma abordagem mais precisa para avaliação das mudanças do carvão durante sua armazenagem, transporte e uso. A Rússia e a China são grandes consumidores de carvão na matriz energética.

 

Também podem ser avaliados de modo mais exato os riscos da combustão espontânea e calculadas as propriedades de emissão térmica. O artigo com o resultado da pesquisa foi publicado na revista especializada Fuel, que faz parte do grupo editorial Elsevier.

 

As particularidades do carvão extraído mudam para pior devido ao ar, à mudança de temperatura e da umidade. Por causa de vários processos, a qualidade do produto final diminui, ele pode perder até 20% da irradiação de calor na ignição. Como resultado, aumenta o consumo e o preço do calor e energia elétrica produzidos.

 

Refugos

 

Também aumenta a quantidade de refugo que afeta a ecologia da região. Por isso, para aumentar a eficácia do uso dos recursos extraídos, é preciso elaborar novos mecanismos de avaliação dos processos que ocorrem com o mineral e suas particularidades.

 

Na NUST MISIS se realiza um grande trabalho – para estudar a estrutura e particularidades do produto e seu comportamento durante todo o ciclo desde a extração até ao uso – e os resultados publicados são apenas uma pequena parte deste trabalho.

 

— Nosso laboratório se ocupa dos estudos do carvão há mais de dez anos. Estamos elaborando novas abordagens para avaliação da estrutura e qualidade do carvão extraído, buscamos novas tecnologias para reciclagem não combustível, métodos de avaliação da segurança da exploração e do uso do mineral. Para além disso, estamos avaliando as perspectivas de uso do combustível mineral. Inclusive na obtenção de novas materiais — explica a chefe da pesquisa, professora catedrática e doutora em ciências técnicas, Svetlana Epstein.

 

Extração

 

Uma das abordagens é baseada no uso em análises de amostras da metodologia termogravimétrica modificada – a observação dos processos de decomposição do carvão com aumento da temperatura do ar e num meio inerte. Segundo as avaliações dos cientistas, as novas abordagens de estudo da oxidação podem mudar a indústria de carvão na Rússia. Bem como os preços no mercado de carvão e a ecologia das regiões onde é extraído.

 

Os dados obtidos ajudarão a determinar o estado do mineral na hora da extração, armazenagem e uso. Isto aumentará a eficácia no seu uso como combustível e como matéria-prima da indústria química. Novos métodos também ajudarão a elaborar a classificação dos produtos e tornar o mercado mais civilizado e transparente.

 

Com base nas pesquisas realizadas, já foram elaborados mais de 25 padrões nacionais e intergovernamentais na área de combustíveis minerais e carvão ativado.

[conteudo] =>

Os cientistas da Universidade Nacional de Ciência e Tecnologia russa (NUST MISIS) examinaram e descreveram os processos por que passa o carvão depois da sua extração do subsolo. Os resultados da análise permitem ter uma abordagem mais precisa para avaliação das mudanças do carvão durante sua armazenagem, transporte e uso. A Rússia e a China são grandes consumidores de carvão na matriz energética.

 

Também podem ser avaliados de modo mais exato os riscos da combustão espontânea e calculadas as propriedades de emissão térmica. O artigo com o resultado da pesquisa foi publicado na revista especializada Fuel, que faz parte do grupo editorial Elsevier.

 

As particularidades do carvão extraído mudam para pior devido ao ar, à mudança de temperatura e da umidade. Por causa de vários processos, a qualidade do produto final diminui, ele pode perder até 20% da irradiação de calor na ignição. Como resultado, aumenta o consumo e o preço do calor e energia elétrica produzidos.

 

Refugos

 

Também aumenta a quantidade de refugo que afeta a ecologia da região. Por isso, para aumentar a eficácia do uso dos recursos extraídos, é preciso elaborar novos mecanismos de avaliação dos processos que ocorrem com o mineral e suas particularidades.

 

Na NUST MISIS se realiza um grande trabalho – para estudar a estrutura e particularidades do produto e seu comportamento durante todo o ciclo desde a extração até ao uso – e os resultados publicados são apenas uma pequena parte deste trabalho.

 

— Nosso laboratório se ocupa dos estudos do carvão há mais de dez anos. Estamos elaborando novas abordagens para avaliação da estrutura e qualidade do carvão extraído, buscamos novas tecnologias para reciclagem não combustível, métodos de avaliação da segurança da exploração e do uso do mineral. Para além disso, estamos avaliando as perspectivas de uso do combustível mineral. Inclusive na obtenção de novas materiais — explica a chefe da pesquisa, professora catedrática e doutora em ciências técnicas, Svetlana Epstein.

 

Extração

 

Uma das abordagens é baseada no uso em análises de amostras da metodologia termogravimétrica modificada – a observação dos processos de decomposição do carvão com aumento da temperatura do ar e num meio inerte. Segundo as avaliações dos cientistas, as novas abordagens de estudo da oxidação podem mudar a indústria de carvão na Rússia. Bem como os preços no mercado de carvão e a ecologia das regiões onde é extraído.

 

Os dados obtidos ajudarão a determinar o estado do mineral na hora da extração, armazenagem e uso. Isto aumentará a eficácia no seu uso como combustível e como matéria-prima da indústria química. Novos métodos também ajudarão a elaborar a classificação dos produtos e tornar o mercado mais civilizado e transparente.

 

Com base nas pesquisas realizadas, já foram elaborados mais de 25 padrões nacionais e intergovernamentais na área de combustíveis minerais e carvão ativado.

[8] => [palavra_chave] => [9] => S [publica] => S [10] => 0 [i_usuario] => 0 [11] => 2017-06-06 19:39:06 [dt_sistema] => 2017-06-06 19:39:06 [12] => [foto] => [13] => [capa] => )

Pesquisadores russos elaboram novo modo de avaliar a qualidade do carvão

04/06/2017

Correio do Brasil - com Rússia Hoje – de Moscou

Os cientistas da Universidade Nacional de Ciência e Tecnologia russa (NUST MISIS) examinaram e descreveram os processos por que passa o carvão depois da sua extração do subsolo. Os resultados da análise permitem ter uma abordagem mais precisa para avaliação das mudanças do carvão durante sua armazenagem, transporte e uso. A Rússia e a China são grandes consumidores de carvão na matriz energética.

 

Também podem ser avaliados de modo mais exato os riscos da combustão espontânea e calculadas as propriedades de emissão térmica. O artigo com o resultado da pesquisa foi publicado na revista especializada Fuel, que faz parte do grupo editorial Elsevier.

 

As particularidades do carvão extraído mudam para pior devido ao ar, à mudança de temperatura e da umidade. Por causa de vários processos, a qualidade do produto final diminui, ele pode perder até 20% da irradiação de calor na ignição. Como resultado, aumenta o consumo e o preço do calor e energia elétrica produzidos.

 

Refugos

 

Também aumenta a quantidade de refugo que afeta a ecologia da região. Por isso, para aumentar a eficácia do uso dos recursos extraídos, é preciso elaborar novos mecanismos de avaliação dos processos que ocorrem com o mineral e suas particularidades.

 

Na NUST MISIS se realiza um grande trabalho – para estudar a estrutura e particularidades do produto e seu comportamento durante todo o ciclo desde a extração até ao uso – e os resultados publicados são apenas uma pequena parte deste trabalho.

 

— Nosso laboratório se ocupa dos estudos do carvão há mais de dez anos. Estamos elaborando novas abordagens para avaliação da estrutura e qualidade do carvão extraído, buscamos novas tecnologias para reciclagem não combustível, métodos de avaliação da segurança da exploração e do uso do mineral. Para além disso, estamos avaliando as perspectivas de uso do combustível mineral. Inclusive na obtenção de novas materiais — explica a chefe da pesquisa, professora catedrática e doutora em ciências técnicas, Svetlana Epstein.

 

Extração

 

Uma das abordagens é baseada no uso em análises de amostras da metodologia termogravimétrica modificada – a observação dos processos de decomposição do carvão com aumento da temperatura do ar e num meio inerte. Segundo as avaliações dos cientistas, as novas abordagens de estudo da oxidação podem mudar a indústria de carvão na Rússia. Bem como os preços no mercado de carvão e a ecologia das regiões onde é extraído.

 

Os dados obtidos ajudarão a determinar o estado do mineral na hora da extração, armazenagem e uso. Isto aumentará a eficácia no seu uso como combustível e como matéria-prima da indústria química. Novos métodos também ajudarão a elaborar a classificação dos produtos e tornar o mercado mais civilizado e transparente.

 

Com base nas pesquisas realizadas, já foram elaborados mais de 25 padrões nacionais e intergovernamentais na área de combustíveis minerais e carvão ativado.

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351