Acesso Restrito
Array
(
    [0] => 1
    [i_empresa] => 1
    [1] => 659
    [i_conteudo] => 659
    [2] => 0
    [i_subarea] => 0
    [3] => 2017-03-30
    [dt_conteudo] => 2017-03-30
    [4] => Dos EUA, mais boas notícias para o carvão
    [titulo] => Dos EUA, mais boas notícias para o carvão
    [5] => Denis Luciano - Portal Engeplus
    [autor] => Denis Luciano - Portal Engeplus
    [6] => Mercado brasileiro projeta reaquecimento do mercado após gesto do presidente Trump
    [resumo] => Mercado brasileiro projeta reaquecimento do mercado após gesto do presidente Trump
    [7] => 

Um cessar-fogo do governo dos Estados Unidos foi anunciado pelo presidente Donald Trump e repercute no sul de Santa Catarina. “Recolocaremos os mineradores no trabalho. Comigo chega ao fim a guerra ao carvão”, enalteceu Trump, em assinatura de decreto que flexibiliza normas ambientais relacionadas à queima de CO². A iniciativa vai na linha do que ele havia antecipado em discurso ao Congresso norte americano no começo de março.

“O presidente Trump entende que os problemas climáticos não são causados pelo carvão”, afirmou o presidente da Associação Brasileira de Carvão Mineral (ABCM), Fernando Zancan. O presidente Trump calcula que 30 mil vagas de empregos foram perdidas desde 2008 com o fechamento de minas de carvão.

“O governo Obama reduziu em 60 megawatts a produção de energia com base em carvão, e isso também tornou o mercado recessivo. Tudo dentro dos acordos ambientais do passado, dos quais Trump está recuando agora”, observou Zancan. 

Esse reaquecimento deve chegar ao Brasil, influenciando positivamente no mercado brasileiro e catarinense de geração de energia por carvão e gás. “Será necessário colocar em prática um plano de modernização de plantas antigas, isso vai gerar investimento em máquinas”, explicou o presidente da ABCM.

[conteudo] =>

Um cessar-fogo do governo dos Estados Unidos foi anunciado pelo presidente Donald Trump e repercute no sul de Santa Catarina. “Recolocaremos os mineradores no trabalho. Comigo chega ao fim a guerra ao carvão”, enalteceu Trump, em assinatura de decreto que flexibiliza normas ambientais relacionadas à queima de CO². A iniciativa vai na linha do que ele havia antecipado em discurso ao Congresso norte americano no começo de março.

“O presidente Trump entende que os problemas climáticos não são causados pelo carvão”, afirmou o presidente da Associação Brasileira de Carvão Mineral (ABCM), Fernando Zancan. O presidente Trump calcula que 30 mil vagas de empregos foram perdidas desde 2008 com o fechamento de minas de carvão.

“O governo Obama reduziu em 60 megawatts a produção de energia com base em carvão, e isso também tornou o mercado recessivo. Tudo dentro dos acordos ambientais do passado, dos quais Trump está recuando agora”, observou Zancan. 

Esse reaquecimento deve chegar ao Brasil, influenciando positivamente no mercado brasileiro e catarinense de geração de energia por carvão e gás. “Será necessário colocar em prática um plano de modernização de plantas antigas, isso vai gerar investimento em máquinas”, explicou o presidente da ABCM.

[8] => [palavra_chave] => [9] => S [publica] => S [10] => 0 [i_usuario] => 0 [11] => 2017-04-07 15:12:40 [dt_sistema] => 2017-04-07 15:12:40 [12] => [foto] => [13] => [capa] => )

Dos EUA, mais boas notícias para o carvão

30/03/2017

Denis Luciano - Portal Engeplus

Um cessar-fogo do governo dos Estados Unidos foi anunciado pelo presidente Donald Trump e repercute no sul de Santa Catarina. “Recolocaremos os mineradores no trabalho. Comigo chega ao fim a guerra ao carvão”, enalteceu Trump, em assinatura de decreto que flexibiliza normas ambientais relacionadas à queima de CO². A iniciativa vai na linha do que ele havia antecipado em discurso ao Congresso norte americano no começo de março.

“O presidente Trump entende que os problemas climáticos não são causados pelo carvão”, afirmou o presidente da Associação Brasileira de Carvão Mineral (ABCM), Fernando Zancan. O presidente Trump calcula que 30 mil vagas de empregos foram perdidas desde 2008 com o fechamento de minas de carvão.

“O governo Obama reduziu em 60 megawatts a produção de energia com base em carvão, e isso também tornou o mercado recessivo. Tudo dentro dos acordos ambientais do passado, dos quais Trump está recuando agora”, observou Zancan. 

Esse reaquecimento deve chegar ao Brasil, influenciando positivamente no mercado brasileiro e catarinense de geração de energia por carvão e gás. “Será necessário colocar em prática um plano de modernização de plantas antigas, isso vai gerar investimento em máquinas”, explicou o presidente da ABCM.

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351