Acesso Restrito
Array
(
    [0] => 1
    [i_empresa] => 1
    [1] => 638
    [i_conteudo] => 638
    [2] => 0
    [i_subarea] => 0
    [3] => 2016-10-18
    [dt_conteudo] => 2016-10-18
    [4] => Medida Provisória do Carvão é aprovada na Câmara dos Deputados
    [titulo] => Medida Provisória do Carvão é aprovada na Câmara dos Deputados
    [5] => Lucas Jorge - Assessoria de Imprensa Siecesc
    [autor] => Lucas Jorge - Assessoria de Imprensa Siecesc
    [6] => MP trata da modernização do Parque Termelétrico Brasileiro e futuro da indústria carbonífera.
    [resumo] => MP trata da modernização do Parque Termelétrico Brasileiro e futuro da indústria carbonífera.
    [7] => 

O setor carbonífero teve uma grande notícia na tarde desta terça-feira (11). A Medida Provisória (MP 735/2016), que havia sido aprovada pela Frente Parlamentar Mista em Defesa do Carvão Mineral na última semana, foi aprovada, agora, pela Câmara dos Deputados, em Brasília, e segue para aprovação no Senado Federal.

A MP 735 trata do Programa de Modernização do Parque Térmico Brasileiro. O objetivo é renovar a vida útil das térmicas existentes e ainda torná-las mais eficientes e reduzir as emissões de CO².

“A conquista de hoje é um passo importante. Depois de aprovada teremos que desenvolver o importante trabalho de implementar o Programa, algo a ser definido pelo MME, e atrair investidores para que possamos na realidade construir um futuro para as nossas regiões carboníferas. O Brasil precisará de carvão para dar a energia firme, de baixo preço e de baixo impacto ambiental e esse caminho começa com a aprovação do projeto de Conversão da Medida Provisória 735/16. Isso só foi possível graças ao apoio da nossa Frente Parlamentar do Carvão Mineral”, explica o presidente da Associação Brasileira do Carvão Mineral (ABCM), Fernando Zancan.

O próximo passo é a votação no Senado Federal, que deve ocorrer já na próxima semana, entre os dias 18 e 19 e outubro. “Além de manter o reembolso para os geradores térmicos a carvão mineral até 2017 e que continuará trazendo recursos da ordem de 900 milhões de reais para a região carbonífera de Santa Catarina até 2027, cria o Programa de Modernização do parque termelétrico a carvão mineral nacional. Esse programa, que deverá ser regulamentado pelo MME, permitirá renovar o parque termelétrico com usinas mais eficientes e com uma redução de gases de efeito estufa já a partir de 2023”, afirma Zancan.

O programa pretende trazer um investimento de 5 bilhões de dólares para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina durante um período de 10 anos. Além de manter no mínimo o nível de produção já existente, propiciando um novo patamar tecnológico e preparando a indústria para um futuro de baixo carbono. 

[conteudo] =>

O setor carbonífero teve uma grande notícia na tarde desta terça-feira (11). A Medida Provisória (MP 735/2016), que havia sido aprovada pela Frente Parlamentar Mista em Defesa do Carvão Mineral na última semana, foi aprovada, agora, pela Câmara dos Deputados, em Brasília, e segue para aprovação no Senado Federal.

A MP 735 trata do Programa de Modernização do Parque Térmico Brasileiro. O objetivo é renovar a vida útil das térmicas existentes e ainda torná-las mais eficientes e reduzir as emissões de CO².

“A conquista de hoje é um passo importante. Depois de aprovada teremos que desenvolver o importante trabalho de implementar o Programa, algo a ser definido pelo MME, e atrair investidores para que possamos na realidade construir um futuro para as nossas regiões carboníferas. O Brasil precisará de carvão para dar a energia firme, de baixo preço e de baixo impacto ambiental e esse caminho começa com a aprovação do projeto de Conversão da Medida Provisória 735/16. Isso só foi possível graças ao apoio da nossa Frente Parlamentar do Carvão Mineral”, explica o presidente da Associação Brasileira do Carvão Mineral (ABCM), Fernando Zancan.

O próximo passo é a votação no Senado Federal, que deve ocorrer já na próxima semana, entre os dias 18 e 19 e outubro. “Além de manter o reembolso para os geradores térmicos a carvão mineral até 2017 e que continuará trazendo recursos da ordem de 900 milhões de reais para a região carbonífera de Santa Catarina até 2027, cria o Programa de Modernização do parque termelétrico a carvão mineral nacional. Esse programa, que deverá ser regulamentado pelo MME, permitirá renovar o parque termelétrico com usinas mais eficientes e com uma redução de gases de efeito estufa já a partir de 2023”, afirma Zancan.

O programa pretende trazer um investimento de 5 bilhões de dólares para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina durante um período de 10 anos. Além de manter no mínimo o nível de produção já existente, propiciando um novo patamar tecnológico e preparando a indústria para um futuro de baixo carbono. 

[8] => [palavra_chave] => [9] => S [publica] => S [10] => 0 [i_usuario] => 0 [11] => 2016-10-19 16:08:57 [dt_sistema] => 2016-10-19 16:08:57 [12] => [foto] => [13] => [capa] => )

Medida Provisória do Carvão é aprovada na Câmara dos Deputados

18/10/2016

Lucas Jorge - Assessoria de Imprensa Siecesc

O setor carbonífero teve uma grande notícia na tarde desta terça-feira (11). A Medida Provisória (MP 735/2016), que havia sido aprovada pela Frente Parlamentar Mista em Defesa do Carvão Mineral na última semana, foi aprovada, agora, pela Câmara dos Deputados, em Brasília, e segue para aprovação no Senado Federal.

A MP 735 trata do Programa de Modernização do Parque Térmico Brasileiro. O objetivo é renovar a vida útil das térmicas existentes e ainda torná-las mais eficientes e reduzir as emissões de CO².

“A conquista de hoje é um passo importante. Depois de aprovada teremos que desenvolver o importante trabalho de implementar o Programa, algo a ser definido pelo MME, e atrair investidores para que possamos na realidade construir um futuro para as nossas regiões carboníferas. O Brasil precisará de carvão para dar a energia firme, de baixo preço e de baixo impacto ambiental e esse caminho começa com a aprovação do projeto de Conversão da Medida Provisória 735/16. Isso só foi possível graças ao apoio da nossa Frente Parlamentar do Carvão Mineral”, explica o presidente da Associação Brasileira do Carvão Mineral (ABCM), Fernando Zancan.

O próximo passo é a votação no Senado Federal, que deve ocorrer já na próxima semana, entre os dias 18 e 19 e outubro. “Além de manter o reembolso para os geradores térmicos a carvão mineral até 2017 e que continuará trazendo recursos da ordem de 900 milhões de reais para a região carbonífera de Santa Catarina até 2027, cria o Programa de Modernização do parque termelétrico a carvão mineral nacional. Esse programa, que deverá ser regulamentado pelo MME, permitirá renovar o parque termelétrico com usinas mais eficientes e com uma redução de gases de efeito estufa já a partir de 2023”, afirma Zancan.

O programa pretende trazer um investimento de 5 bilhões de dólares para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina durante um período de 10 anos. Além de manter no mínimo o nível de produção já existente, propiciando um novo patamar tecnológico e preparando a indústria para um futuro de baixo carbono. 

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351