Acesso Restrito
Array
(
    [0] => 1
    [i_empresa] => 1
    [1] => 547
    [i_conteudo] => 547
    [2] => 0
    [i_subarea] => 0
    [3] => 2015-11-27
    [dt_conteudo] => 2015-11-27
    [4] => Disputa entre Rússia e Ucrânia sobre Crimea se agrava com corte russo no fornecimento de carvão
    [titulo] => Disputa entre Rússia e Ucrânia sobre Crimea se agrava com corte russo no fornecimento de carvão
    [5] => Por Natalia Zinets
    [autor] => Por Natalia Zinets
    [6] => A Rússia começou a restringir o fornecimento de carvão para a Ucrânia, disse o ministro ucraniano da Energia, Volodymyr Demchyshyn, ao Parlamento em Kiev nesta sexta-feira, dias depois de o Kremlin ameaçar punir o país por um apagão de energia na Crimeia, região ucraniana anexada por Moscou.
    [resumo] => A Rússia começou a restringir o fornecimento de carvão para a Ucrânia, disse o ministro ucraniano da Energia, Volodymyr Demchyshyn, ao Parlamento em Kiev nesta sexta-feira, dias depois de o Kremlin ameaçar punir o país por um apagão de energia na Crimeia, região ucraniana anexada por Moscou.
    [7] => 

A Rússia começou a restringir o fornecimento de carvão para a Ucrânia, disse o ministro ucraniano da Energia, Volodymyr Demchyshyn, ao Parlamento em Kiev nesta sexta-feira, dias depois de o Kremlin ameaçar punir o país por um apagão de energia na Crimeia, região ucraniana anexada por Moscou.

Demchyshyn disse que separatistas pró-Rússia que controlam as minas de carvão no leste da Ucrânia também interromperam o fornecimento de carvão e acrescentou que o governo ucraniano tem suprimento próprio para um mês e está à procura de fontes alternativas na África do Sul.

"Houve corte no fornecimento de carvão proveniente de território não controlado (a região de Donbass, não controlada pela Ucrânia) e da Rússia", disse Demchyshyn. "Neste momento, nossas centrais têm reservas de carvão suficientes para durar pelo menos um mês. Mas, a longo prazo, irão surgir questões problemáticas".

O ministro da Energia russo, Alexander Novak, disse na terça-feira que a Rússia poderia cortar o fornecimento de carvão para punir a Ucrânia por sua recusa deliberada em ajudar a reconstruir linhas de energia na Crimeia explodidas por sabotadores desconhecidos, segundo afirmou.

A Rússia tomou a Crimeia da Ucrânia em março do ano passado, mergulhando as relações entre os antigos aliados em sua pior crise.

Pequenos trabalhos de reparação foram efetuados nas torres e linhas de energia sabotadas, no sul da Ucrânia, que distribuem energia para a Crimeia, mas nenhuma das quatro torres destruídas está operacional.

A Ucrânia depende do carvão para satisfazer cerca de 44 por cento de suas necessidades de energia. A energia nuclear reponde por proporção equivalente e o resto é suprido por fontes renováveis.

(Reportagem de Natalya Zinets)

[conteudo] =>

A Rússia começou a restringir o fornecimento de carvão para a Ucrânia, disse o ministro ucraniano da Energia, Volodymyr Demchyshyn, ao Parlamento em Kiev nesta sexta-feira, dias depois de o Kremlin ameaçar punir o país por um apagão de energia na Crimeia, região ucraniana anexada por Moscou.

Demchyshyn disse que separatistas pró-Rússia que controlam as minas de carvão no leste da Ucrânia também interromperam o fornecimento de carvão e acrescentou que o governo ucraniano tem suprimento próprio para um mês e está à procura de fontes alternativas na África do Sul.

"Houve corte no fornecimento de carvão proveniente de território não controlado (a região de Donbass, não controlada pela Ucrânia) e da Rússia", disse Demchyshyn. "Neste momento, nossas centrais têm reservas de carvão suficientes para durar pelo menos um mês. Mas, a longo prazo, irão surgir questões problemáticas".

O ministro da Energia russo, Alexander Novak, disse na terça-feira que a Rússia poderia cortar o fornecimento de carvão para punir a Ucrânia por sua recusa deliberada em ajudar a reconstruir linhas de energia na Crimeia explodidas por sabotadores desconhecidos, segundo afirmou.

A Rússia tomou a Crimeia da Ucrânia em março do ano passado, mergulhando as relações entre os antigos aliados em sua pior crise.

Pequenos trabalhos de reparação foram efetuados nas torres e linhas de energia sabotadas, no sul da Ucrânia, que distribuem energia para a Crimeia, mas nenhuma das quatro torres destruídas está operacional.

A Ucrânia depende do carvão para satisfazer cerca de 44 por cento de suas necessidades de energia. A energia nuclear reponde por proporção equivalente e o resto é suprido por fontes renováveis.

(Reportagem de Natalya Zinets)

[8] => [palavra_chave] => [9] => S [publica] => S [10] => 0 [i_usuario] => 0 [11] => 2015-12-03 14:05:15 [dt_sistema] => 2015-12-03 14:05:15 [12] => [foto] => [13] => [capa] => )

Disputa entre Rússia e Ucrânia sobre Crimea se agrava com corte russo no fornecimento de carvão

27/11/2015

Por Natalia Zinets

A Rússia começou a restringir o fornecimento de carvão para a Ucrânia, disse o ministro ucraniano da Energia, Volodymyr Demchyshyn, ao Parlamento em Kiev nesta sexta-feira, dias depois de o Kremlin ameaçar punir o país por um apagão de energia na Crimeia, região ucraniana anexada por Moscou.

Demchyshyn disse que separatistas pró-Rússia que controlam as minas de carvão no leste da Ucrânia também interromperam o fornecimento de carvão e acrescentou que o governo ucraniano tem suprimento próprio para um mês e está à procura de fontes alternativas na África do Sul.

"Houve corte no fornecimento de carvão proveniente de território não controlado (a região de Donbass, não controlada pela Ucrânia) e da Rússia", disse Demchyshyn. "Neste momento, nossas centrais têm reservas de carvão suficientes para durar pelo menos um mês. Mas, a longo prazo, irão surgir questões problemáticas".

O ministro da Energia russo, Alexander Novak, disse na terça-feira que a Rússia poderia cortar o fornecimento de carvão para punir a Ucrânia por sua recusa deliberada em ajudar a reconstruir linhas de energia na Crimeia explodidas por sabotadores desconhecidos, segundo afirmou.

A Rússia tomou a Crimeia da Ucrânia em março do ano passado, mergulhando as relações entre os antigos aliados em sua pior crise.

Pequenos trabalhos de reparação foram efetuados nas torres e linhas de energia sabotadas, no sul da Ucrânia, que distribuem energia para a Crimeia, mas nenhuma das quatro torres destruídas está operacional.

A Ucrânia depende do carvão para satisfazer cerca de 44 por cento de suas necessidades de energia. A energia nuclear reponde por proporção equivalente e o resto é suprido por fontes renováveis.

(Reportagem de Natalya Zinets)

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351