Acesso Restrito
Array
(
    [0] => 1
    [i_empresa] => 1
    [1] => 448
    [i_conteudo] => 448
    [2] => 0
    [i_subarea] => 0
    [3] => 2015-04-01
    [dt_conteudo] => 2015-04-01
    [4] => Bandeira fica no vermelho pelo quarto mês
    [titulo] => Bandeira fica no vermelho pelo quarto mês
    [5] => 
    [autor] => 
    [6] => Anatel confirma tarifa no patamar mais caro devido ao uso de termelétricas
    [resumo] => Anatel confirma tarifa no patamar mais caro devido ao uso de termelétricas
    [7] => 

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou ontem a bandeira tarifária cobrada nas contas de abril. Pelo quarto mês consecutivo a conta é a mais alta prevista pelo sistema inaugurado em janeiro.

Com a bandeira vermelha os clientes pagam R$ 5,50 a mais a cada cem quilowatts (kw/h) consumidos. Conforme a Aneel, o acréscimo ocorre devido ao custo da geração a partir de termelétricas, maior em relação à energia gerada por hidrelétricas.

Os aumentos na conta de luz superam os 60% desde o começo do ano. Além do acréscimo causado pelas bandeiras, em fevereiro, o governo federal autorizou um aumento extraordinário de 39,5% no valor cobrado pela AES Sul.

A Aneel também aumentou em 83% o preço cobrado em bandeira vermelha. Até o mês passado, o valor era de R$ 3 a cada cem kw/h consumido. Em caso de bandeira amarela o acréscimo a cada cem kw/h passou de R$ 1,50 para R$ 2,50, totalizando aumento de 67%.

Os seguidos aumentos na tarifa de energia prejudicam os consumidores. Em Lajeado, uma assistência técnica de aparelhos celulares viu a conta de luz subir de R$ 85 em janeiro para R$ 158 em fevereiro.

Funcionário do estabelecimento, Guilherme da Silveira acredita que o condicionado de ar é o principal responsável pela composição dos valores cobrados. Nos últimos dois meses, a empresa reduziu o uso do aparelho para tentar diminuir os gastos.

Custo elevado

As bandeiras tarifárias foram instituídas pelo governo federal para reduzir o prejuízo das empresas que fornecem energia. Como as usinas hidrelétricas dominam a geração no país e o volume de chuvas não é suficiente para encher os reservatórios, as empresas acabam utilizando mais energia gerada por térmicas.

Movidas a gás natural, carvão, óleo combustível ou diesel, as termelétricas tem custo operacional oito vezes maior do que as hidrelétricas.

O sistema foi dividido em três faixas. A bandeira verde representa reservatórios cheios e boa condição para gerar energia. Com isso não há acréscimo na conta. Em bandeira amarela existe um uso mediano de termelétricas, o que para o governo justificaria acréscimo na conta. A vermelha indica que as condições de geração são as mais caras, assim como o valor cobrado nas contas.

O sistema de bandeiras tarifárias já é utilizado na região pela concessionária AES Sul e será implementado a partir de junho pela Certel Energia.

Novo Empréstimo

O governo federal deve repassar hoje empréstimo bancário de R$ 3,4 bilhões para as distribuidoras de energia. Com juros de 3,1% ao ano, o crédito deve um novo aumento de 6% na conta de luz em 2015, conforme a Aneel. É o terceiro empréstimo concedido para as empresas do setor em um ano. Os outros dois empréstimos foram firmados no ano passado, somando um total de R$ 17,8 bilhões.

Agência Virtual

A Certel Energia inaugurou uma página na internet para agilizar a comunicação entre a cooperativa e associados. A Agência Virtual pode ser acessada para informar eventuais interrupções no fornecimento de energia, especialmente em dias em que as linhas telefônicas ficam congestionadas.

O acesso é feito pelo www.certel.com.br É necessário digitar o número da Unidade Consumidora (UC) e o número do CPF/CNPJ do titular. O associado terá um número de protocolo do registro e poderá acompanhar o andamento do serviço.

A Agência Virtual pode ser acessada por computador, tablet ou smarthphone. Também é possível alterar dados cadastrais, consultar histórico de consumo, emitir segunda via de fatura ou comprovante de residência.

A Certel também iniciou o serviço de fatura por e-mail. Associados que desejam deixar de receber a conta pelo correio e aderir ao serviços devem entrar em contato com a cooperativa pelo 0800-516300 ou pessoalmente nos postos de atendimento.

[conteudo] =>

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou ontem a bandeira tarifária cobrada nas contas de abril. Pelo quarto mês consecutivo a conta é a mais alta prevista pelo sistema inaugurado em janeiro.

Com a bandeira vermelha os clientes pagam R$ 5,50 a mais a cada cem quilowatts (kw/h) consumidos. Conforme a Aneel, o acréscimo ocorre devido ao custo da geração a partir de termelétricas, maior em relação à energia gerada por hidrelétricas.

Os aumentos na conta de luz superam os 60% desde o começo do ano. Além do acréscimo causado pelas bandeiras, em fevereiro, o governo federal autorizou um aumento extraordinário de 39,5% no valor cobrado pela AES Sul.

A Aneel também aumentou em 83% o preço cobrado em bandeira vermelha. Até o mês passado, o valor era de R$ 3 a cada cem kw/h consumido. Em caso de bandeira amarela o acréscimo a cada cem kw/h passou de R$ 1,50 para R$ 2,50, totalizando aumento de 67%.

Os seguidos aumentos na tarifa de energia prejudicam os consumidores. Em Lajeado, uma assistência técnica de aparelhos celulares viu a conta de luz subir de R$ 85 em janeiro para R$ 158 em fevereiro.

Funcionário do estabelecimento, Guilherme da Silveira acredita que o condicionado de ar é o principal responsável pela composição dos valores cobrados. Nos últimos dois meses, a empresa reduziu o uso do aparelho para tentar diminuir os gastos.

Custo elevado

As bandeiras tarifárias foram instituídas pelo governo federal para reduzir o prejuízo das empresas que fornecem energia. Como as usinas hidrelétricas dominam a geração no país e o volume de chuvas não é suficiente para encher os reservatórios, as empresas acabam utilizando mais energia gerada por térmicas.

Movidas a gás natural, carvão, óleo combustível ou diesel, as termelétricas tem custo operacional oito vezes maior do que as hidrelétricas.

O sistema foi dividido em três faixas. A bandeira verde representa reservatórios cheios e boa condição para gerar energia. Com isso não há acréscimo na conta. Em bandeira amarela existe um uso mediano de termelétricas, o que para o governo justificaria acréscimo na conta. A vermelha indica que as condições de geração são as mais caras, assim como o valor cobrado nas contas.

O sistema de bandeiras tarifárias já é utilizado na região pela concessionária AES Sul e será implementado a partir de junho pela Certel Energia.

Novo Empréstimo

O governo federal deve repassar hoje empréstimo bancário de R$ 3,4 bilhões para as distribuidoras de energia. Com juros de 3,1% ao ano, o crédito deve um novo aumento de 6% na conta de luz em 2015, conforme a Aneel. É o terceiro empréstimo concedido para as empresas do setor em um ano. Os outros dois empréstimos foram firmados no ano passado, somando um total de R$ 17,8 bilhões.

Agência Virtual

A Certel Energia inaugurou uma página na internet para agilizar a comunicação entre a cooperativa e associados. A Agência Virtual pode ser acessada para informar eventuais interrupções no fornecimento de energia, especialmente em dias em que as linhas telefônicas ficam congestionadas.

O acesso é feito pelo www.certel.com.br É necessário digitar o número da Unidade Consumidora (UC) e o número do CPF/CNPJ do titular. O associado terá um número de protocolo do registro e poderá acompanhar o andamento do serviço.

A Agência Virtual pode ser acessada por computador, tablet ou smarthphone. Também é possível alterar dados cadastrais, consultar histórico de consumo, emitir segunda via de fatura ou comprovante de residência.

A Certel também iniciou o serviço de fatura por e-mail. Associados que desejam deixar de receber a conta pelo correio e aderir ao serviços devem entrar em contato com a cooperativa pelo 0800-516300 ou pessoalmente nos postos de atendimento.

[8] => [palavra_chave] => [9] => S [publica] => S [10] => 0 [i_usuario] => 0 [11] => 2015-04-06 09:59:26 [dt_sistema] => 2015-04-06 09:59:26 [12] => [foto] => [13] => [capa] => )

Bandeira fica no vermelho pelo quarto mês

01/04/2015

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou ontem a bandeira tarifária cobrada nas contas de abril. Pelo quarto mês consecutivo a conta é a mais alta prevista pelo sistema inaugurado em janeiro.

Com a bandeira vermelha os clientes pagam R$ 5,50 a mais a cada cem quilowatts (kw/h) consumidos. Conforme a Aneel, o acréscimo ocorre devido ao custo da geração a partir de termelétricas, maior em relação à energia gerada por hidrelétricas.

Os aumentos na conta de luz superam os 60% desde o começo do ano. Além do acréscimo causado pelas bandeiras, em fevereiro, o governo federal autorizou um aumento extraordinário de 39,5% no valor cobrado pela AES Sul.

A Aneel também aumentou em 83% o preço cobrado em bandeira vermelha. Até o mês passado, o valor era de R$ 3 a cada cem kw/h consumido. Em caso de bandeira amarela o acréscimo a cada cem kw/h passou de R$ 1,50 para R$ 2,50, totalizando aumento de 67%.

Os seguidos aumentos na tarifa de energia prejudicam os consumidores. Em Lajeado, uma assistência técnica de aparelhos celulares viu a conta de luz subir de R$ 85 em janeiro para R$ 158 em fevereiro.

Funcionário do estabelecimento, Guilherme da Silveira acredita que o condicionado de ar é o principal responsável pela composição dos valores cobrados. Nos últimos dois meses, a empresa reduziu o uso do aparelho para tentar diminuir os gastos.

Custo elevado

As bandeiras tarifárias foram instituídas pelo governo federal para reduzir o prejuízo das empresas que fornecem energia. Como as usinas hidrelétricas dominam a geração no país e o volume de chuvas não é suficiente para encher os reservatórios, as empresas acabam utilizando mais energia gerada por térmicas.

Movidas a gás natural, carvão, óleo combustível ou diesel, as termelétricas tem custo operacional oito vezes maior do que as hidrelétricas.

O sistema foi dividido em três faixas. A bandeira verde representa reservatórios cheios e boa condição para gerar energia. Com isso não há acréscimo na conta. Em bandeira amarela existe um uso mediano de termelétricas, o que para o governo justificaria acréscimo na conta. A vermelha indica que as condições de geração são as mais caras, assim como o valor cobrado nas contas.

O sistema de bandeiras tarifárias já é utilizado na região pela concessionária AES Sul e será implementado a partir de junho pela Certel Energia.

Novo Empréstimo

O governo federal deve repassar hoje empréstimo bancário de R$ 3,4 bilhões para as distribuidoras de energia. Com juros de 3,1% ao ano, o crédito deve um novo aumento de 6% na conta de luz em 2015, conforme a Aneel. É o terceiro empréstimo concedido para as empresas do setor em um ano. Os outros dois empréstimos foram firmados no ano passado, somando um total de R$ 17,8 bilhões.

Agência Virtual

A Certel Energia inaugurou uma página na internet para agilizar a comunicação entre a cooperativa e associados. A Agência Virtual pode ser acessada para informar eventuais interrupções no fornecimento de energia, especialmente em dias em que as linhas telefônicas ficam congestionadas.

O acesso é feito pelo www.certel.com.br É necessário digitar o número da Unidade Consumidora (UC) e o número do CPF/CNPJ do titular. O associado terá um número de protocolo do registro e poderá acompanhar o andamento do serviço.

A Agência Virtual pode ser acessada por computador, tablet ou smarthphone. Também é possível alterar dados cadastrais, consultar histórico de consumo, emitir segunda via de fatura ou comprovante de residência.

A Certel também iniciou o serviço de fatura por e-mail. Associados que desejam deixar de receber a conta pelo correio e aderir ao serviços devem entrar em contato com a cooperativa pelo 0800-516300 ou pessoalmente nos postos de atendimento.

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351