Acesso Restrito
Array
(
    [0] => 1
    [i_empresa] => 1
    [1] => 409
    [i_conteudo] => 409
    [2] => 0
    [i_subarea] => 0
    [3] => 2015-01-22
    [dt_conteudo] => 2015-01-22
    [4] => Potencial de gaseificação do carvão gaúcho é avaliado por investidores internacionais
    [titulo] => Potencial de gaseificação do carvão gaúcho é avaliado por investidores internacionais
    [5] => Marcelo Vilela
    [autor] => Marcelo Vilela
    [6] => Um termo de compromisso assinado esta semana entre a Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e a Vamtec Vitória S.A. garante o fornecimento, pela estatal gaúcha, de amostras de carvão para o estudo de viabilidade técnica, econômico-financeira e ambiental acordado com o Governo do Estado em maio de 2014.
    [resumo] => Um termo de compromisso assinado esta semana entre a Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e a Vamtec Vitória S.A. garante o fornecimento, pela estatal gaúcha, de amostras de carvão para o estudo de viabilidade técnica, econômico-financeira e ambiental acordado com o Governo do Estado em maio de 2014.
    [7] => 

Um termo de compromisso assinado esta semana entre a Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e a Vamtec Vitória S.A. garante o fornecimento, pela estatal gaúcha, de amostras de carvão para o estudo de viabilidade técnica, econômico-financeira e ambiental acordado com o Governo do Estado em maio de 2014.

Para definir o potencial de gaseificação do mineral presente no Rio Grande do Sul, que tem elevado teor de cinzas, a Vamtec e a norte-americana Synthesis Energy Systems (SES) rodarão testes e ensaios nos Estados Unidos e na China para definir qual tecnologia é mais apropriada para a conversão em produtos carboquímicos em escala industrial.

Com investimentos avaliados em R$ 4 milhões, os testes devem ficar prontos ainda em 2015, segundo a Vamtec. A gaseificação representa a produção do Syngas (gás sintético), matéria-prima para derivados como metanol e fertilizantes, além de combustível para geração de energia limpa, gerada sem que ocorra queima direta do mineral.

“Entramos em uma nova etapa na utilização do carvão mineral, que será materializada através de investimentos, ampliação da renda e criação de novos empregos no Estado”, garantiu Elifas Simas, presidente da CRM.

A SES detém a tecnologia para a realização dos estudos e receberá as amostras de carvão das jazidas da unidade mineira de Candiota.

O memorando de entendimento assinado em maio de 2014 foi alinhavado em missão de representantes do Sistema de Desenvolvimento do Estado à China, no final de 2013, quando foi visitada a unidade da SES em Xangai.

“Buscamos novas bases tecnológicas para uso do carvão mineral gaúcho, o que sem dúvida será fruto desse estudo estratégico para a Política Industrial do Rio Grande do Sul”, avalia o presidente da Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI), Ivan De Pellegrin.

Além de fornecer as amostras de carvão para análise, a Companhia garante fornecimento por até 25 anos, caso os resultados apontem a viabilidade de aproveitamento do mineral. Os estudos serão feitos com o carvão CE-3300, oriundo da britagem do carvão bruto (run-of-mine) extraído na Mina de Candiota, um produto padrão termelétrico atualmente comercializado pela companhia.

Todo o procedimento será custeado pela Vamtec, que fornecerá, inclusive, as embalagens para as remessas. Os resultados serão compartilhados entre as partes e a partir deles será definido o contrato e suas especificações.

Fonte: Governo do Rio Grande do Sul

[conteudo] =>

Um termo de compromisso assinado esta semana entre a Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e a Vamtec Vitória S.A. garante o fornecimento, pela estatal gaúcha, de amostras de carvão para o estudo de viabilidade técnica, econômico-financeira e ambiental acordado com o Governo do Estado em maio de 2014.

Para definir o potencial de gaseificação do mineral presente no Rio Grande do Sul, que tem elevado teor de cinzas, a Vamtec e a norte-americana Synthesis Energy Systems (SES) rodarão testes e ensaios nos Estados Unidos e na China para definir qual tecnologia é mais apropriada para a conversão em produtos carboquímicos em escala industrial.

Com investimentos avaliados em R$ 4 milhões, os testes devem ficar prontos ainda em 2015, segundo a Vamtec. A gaseificação representa a produção do Syngas (gás sintético), matéria-prima para derivados como metanol e fertilizantes, além de combustível para geração de energia limpa, gerada sem que ocorra queima direta do mineral.

“Entramos em uma nova etapa na utilização do carvão mineral, que será materializada através de investimentos, ampliação da renda e criação de novos empregos no Estado”, garantiu Elifas Simas, presidente da CRM.

A SES detém a tecnologia para a realização dos estudos e receberá as amostras de carvão das jazidas da unidade mineira de Candiota.

O memorando de entendimento assinado em maio de 2014 foi alinhavado em missão de representantes do Sistema de Desenvolvimento do Estado à China, no final de 2013, quando foi visitada a unidade da SES em Xangai.

“Buscamos novas bases tecnológicas para uso do carvão mineral gaúcho, o que sem dúvida será fruto desse estudo estratégico para a Política Industrial do Rio Grande do Sul”, avalia o presidente da Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI), Ivan De Pellegrin.

Além de fornecer as amostras de carvão para análise, a Companhia garante fornecimento por até 25 anos, caso os resultados apontem a viabilidade de aproveitamento do mineral. Os estudos serão feitos com o carvão CE-3300, oriundo da britagem do carvão bruto (run-of-mine) extraído na Mina de Candiota, um produto padrão termelétrico atualmente comercializado pela companhia.

Todo o procedimento será custeado pela Vamtec, que fornecerá, inclusive, as embalagens para as remessas. Os resultados serão compartilhados entre as partes e a partir deles será definido o contrato e suas especificações.

Fonte: Governo do Rio Grande do Sul

[8] => [palavra_chave] => [9] => S [publica] => S [10] => 0 [i_usuario] => 0 [11] => 2015-01-22 13:13:05 [dt_sistema] => 2015-01-22 13:13:05 [12] => [foto] => [13] => [capa] => )

Potencial de gaseificação do carvão gaúcho é avaliado por investidores internacionais

22/01/2015

Marcelo Vilela

Um termo de compromisso assinado esta semana entre a Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e a Vamtec Vitória S.A. garante o fornecimento, pela estatal gaúcha, de amostras de carvão para o estudo de viabilidade técnica, econômico-financeira e ambiental acordado com o Governo do Estado em maio de 2014.

Para definir o potencial de gaseificação do mineral presente no Rio Grande do Sul, que tem elevado teor de cinzas, a Vamtec e a norte-americana Synthesis Energy Systems (SES) rodarão testes e ensaios nos Estados Unidos e na China para definir qual tecnologia é mais apropriada para a conversão em produtos carboquímicos em escala industrial.

Com investimentos avaliados em R$ 4 milhões, os testes devem ficar prontos ainda em 2015, segundo a Vamtec. A gaseificação representa a produção do Syngas (gás sintético), matéria-prima para derivados como metanol e fertilizantes, além de combustível para geração de energia limpa, gerada sem que ocorra queima direta do mineral.

“Entramos em uma nova etapa na utilização do carvão mineral, que será materializada através de investimentos, ampliação da renda e criação de novos empregos no Estado”, garantiu Elifas Simas, presidente da CRM.

A SES detém a tecnologia para a realização dos estudos e receberá as amostras de carvão das jazidas da unidade mineira de Candiota.

O memorando de entendimento assinado em maio de 2014 foi alinhavado em missão de representantes do Sistema de Desenvolvimento do Estado à China, no final de 2013, quando foi visitada a unidade da SES em Xangai.

“Buscamos novas bases tecnológicas para uso do carvão mineral gaúcho, o que sem dúvida será fruto desse estudo estratégico para a Política Industrial do Rio Grande do Sul”, avalia o presidente da Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI), Ivan De Pellegrin.

Além de fornecer as amostras de carvão para análise, a Companhia garante fornecimento por até 25 anos, caso os resultados apontem a viabilidade de aproveitamento do mineral. Os estudos serão feitos com o carvão CE-3300, oriundo da britagem do carvão bruto (run-of-mine) extraído na Mina de Candiota, um produto padrão termelétrico atualmente comercializado pela companhia.

Todo o procedimento será custeado pela Vamtec, que fornecerá, inclusive, as embalagens para as remessas. Os resultados serão compartilhados entre as partes e a partir deles será definido o contrato e suas especificações.

Fonte: Governo do Rio Grande do Sul

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351