Acesso Restrito
Array
(
    [0] => 1
    [i_empresa] => 1
    [1] => 351
    [i_conteudo] => 351
    [2] => 0
    [i_subarea] => 0
    [3] => 2014-07-03
    [dt_conteudo] => 2014-07-03
    [4] => Especialista diz que agregar valor ao carvão mineral é vital para a indústria
    [titulo] => Especialista diz que agregar valor ao carvão mineral é vital para a indústria
    [5] => Fernando Zancan
    [autor] => Fernando Zancan
    [6] => Em artigo, Fernando Zancan afirma que papel do poder público é ser indutor e agilizar processos
    [resumo] => Em artigo, Fernando Zancan afirma que papel do poder público é ser indutor e agilizar processos
    [7] => 

Agregar valor a uma matéria-prima é buscar via tecnologia desenvolver produtos de alto valor comercial. Isso é que o projeto da Transgas Development pretende fazer com as nossas jazidas de carvão mineral. Ao multiplicarmos por 15 o valor de uma tonelada de carvão vamos trazer desenvolvimento (emprego e renda) para uma região carente e que tem indicadores econômicos e sociais abaixo de outras regiões do Estado. O projeto de carboquímica na produção de ureia, nitrato de amônia e enxofre elementar (produtos que o Brasil importa) está alinhado com o programa de incentivo à produção de fertilizantes. 

Reduzir a dependência de cerca de 80% das importações de fertilizantes nitrogenados é estratégico para o agronegócio, que precisa de fertilizantes a preços estáveis e competitivos. O papel do Estado (federal, estadual e municipal) é ser indutor, agilizando processos, criando políticas fiscais, fornecendo infraestrutura etc. Iniciamos bem o processo, interesse econômico de investidores, do Estado de SC, dos municípios que desejam investimentos de US$ 2,7 bilhões, e com apoio da Presidência da República.

A viabilização de uma planta química de classe mundial (equivalente a uma refinaria de petróleo com cem hectares de área) necessita de muito trabalho e dedicação. O desenvolvimento de projetos de agregação de valor para o carvão mineral é vital para a indústria, pois ao diversificar o seu mercado, valoriza o energético que mais cresceu em 13 anos no mundo. 

A China já usa 180 milhões toneladas de carvão em projetos que produzem fertilizantes, plásticos, ácido acético e gás natural sintético. No Brasil, estamos alinhados com o mundo visando dar um salto de desenvolvimento no Sul do Estado de Santa Catarina.

[conteudo] =>

Agregar valor a uma matéria-prima é buscar via tecnologia desenvolver produtos de alto valor comercial. Isso é que o projeto da Transgas Development pretende fazer com as nossas jazidas de carvão mineral. Ao multiplicarmos por 15 o valor de uma tonelada de carvão vamos trazer desenvolvimento (emprego e renda) para uma região carente e que tem indicadores econômicos e sociais abaixo de outras regiões do Estado. O projeto de carboquímica na produção de ureia, nitrato de amônia e enxofre elementar (produtos que o Brasil importa) está alinhado com o programa de incentivo à produção de fertilizantes. 

Reduzir a dependência de cerca de 80% das importações de fertilizantes nitrogenados é estratégico para o agronegócio, que precisa de fertilizantes a preços estáveis e competitivos. O papel do Estado (federal, estadual e municipal) é ser indutor, agilizando processos, criando políticas fiscais, fornecendo infraestrutura etc. Iniciamos bem o processo, interesse econômico de investidores, do Estado de SC, dos municípios que desejam investimentos de US$ 2,7 bilhões, e com apoio da Presidência da República.

A viabilização de uma planta química de classe mundial (equivalente a uma refinaria de petróleo com cem hectares de área) necessita de muito trabalho e dedicação. O desenvolvimento de projetos de agregação de valor para o carvão mineral é vital para a indústria, pois ao diversificar o seu mercado, valoriza o energético que mais cresceu em 13 anos no mundo. 

A China já usa 180 milhões toneladas de carvão em projetos que produzem fertilizantes, plásticos, ácido acético e gás natural sintético. No Brasil, estamos alinhados com o mundo visando dar um salto de desenvolvimento no Sul do Estado de Santa Catarina.

[8] => [palavra_chave] => [9] => S [publica] => S [10] => 0 [i_usuario] => 0 [11] => 2014-07-08 14:56:56 [dt_sistema] => 2014-07-08 14:56:56 [12] => [foto] => [13] => [capa] => )

Especialista diz que agregar valor ao carvão mineral é vital para a indústria

03/07/2014

Fernando Zancan

Agregar valor a uma matéria-prima é buscar via tecnologia desenvolver produtos de alto valor comercial. Isso é que o projeto da Transgas Development pretende fazer com as nossas jazidas de carvão mineral. Ao multiplicarmos por 15 o valor de uma tonelada de carvão vamos trazer desenvolvimento (emprego e renda) para uma região carente e que tem indicadores econômicos e sociais abaixo de outras regiões do Estado. O projeto de carboquímica na produção de ureia, nitrato de amônia e enxofre elementar (produtos que o Brasil importa) está alinhado com o programa de incentivo à produção de fertilizantes. 

Reduzir a dependência de cerca de 80% das importações de fertilizantes nitrogenados é estratégico para o agronegócio, que precisa de fertilizantes a preços estáveis e competitivos. O papel do Estado (federal, estadual e municipal) é ser indutor, agilizando processos, criando políticas fiscais, fornecendo infraestrutura etc. Iniciamos bem o processo, interesse econômico de investidores, do Estado de SC, dos municípios que desejam investimentos de US$ 2,7 bilhões, e com apoio da Presidência da República.

A viabilização de uma planta química de classe mundial (equivalente a uma refinaria de petróleo com cem hectares de área) necessita de muito trabalho e dedicação. O desenvolvimento de projetos de agregação de valor para o carvão mineral é vital para a indústria, pois ao diversificar o seu mercado, valoriza o energético que mais cresceu em 13 anos no mundo. 

A China já usa 180 milhões toneladas de carvão em projetos que produzem fertilizantes, plásticos, ácido acético e gás natural sintético. No Brasil, estamos alinhados com o mundo visando dar um salto de desenvolvimento no Sul do Estado de Santa Catarina.

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351