Acesso Restrito
Array
(
    [0] => 1
    [i_empresa] => 1
    [1] => 301
    [i_conteudo] => 301
    [2] => 0
    [i_subarea] => 0
    [3] => 2014-04-02
    [dt_conteudo] => 2014-04-02
    [4] => Carvão nos leilões energéticos
    [titulo] => Carvão nos leilões energéticos
    [5] => 
    [autor] => 
    [6] => Frente Parlamentar Mista em Defesa do Carvão Mineral comemora a inclusão do carvão nos leilões energéticos
    [resumo] => Frente Parlamentar Mista em Defesa do Carvão Mineral comemora a inclusão do carvão nos leilões energéticos
    [7] => 

O deputado federal Afonso Hamm (PP-RS), que assume nesta terça-feira, a presidência da Frente Parlamentar do Carvão Mineral, recebeu em seu gabinete de Brasília, uma comitiva de parlamentares de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Os dois estados são os maiores produtores da matéria-prima e estão empenhados para que ocorram avanços na legislação.

A reunião contou com a presença do presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, deputado estadual, Pedro Westphalen, presidente da Assembleia de Santa Catarina, deputado Joares Ponticelli, deputado estadual Valdir Comin – presidente da Frente Parlamentar do Carvão Mineral de Santa Catarina e o deputado estadual Dóia Guglielmi, de Santa Catarina. A reunião também contou com a presença do presidente da Associação Brasileira do Carvão Mineral, Fernando Zancan e o empresário, Gerson Galvão Filho.

Leilão de energia A-5

Nesta terça-feira, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, anunciou que as usinas térmicas a carvão mineral irão fazer parte dos leilões de energia A-5. O ministro confirmou a possibilidade de realização do um leilão para carvão já no segundo semestre de 2013. Hamm comenta que desde 2009, as térmicas movidas a carvão estão proibidas de participar dos leilões de energia por conta de acordos internacionais. “Com a retomada dos leilões abre-se o mercado termelétrico com investimentos da ordem de seis bilhões de dólares, em projetos já licenciados ambientalmente e aptos a ingressar nos leilões A-5”, detalha.

Pedro Westphalen comemora esta notícia ressaltando que faz parte de uma mobilização conjunta dos vereadores, prefeituras, deputados, movimentos sociais e do empresariado. “O próximo passo é trazer para a pauta a produção de carvão mineral de maneira sustentável, viabilizada através de legislação adequada”, aponta.

O presidente da Frente relata que o encontro também foi para unificar as ações voltadas ao segmento e definir agenda para os próximos meses e assim, estabelecer a política para avançar os esforços. Uma das primeiras atividades é a reunião das Assembleias Legislativas do Rio Grande do Sul e Santa Catarina para tratar da legislação.

O tema tem fórum para desdobramentos a curto, médio e longo prazo. Está previsto para agosto o fechamento das usinas de São Jerônimo e, para o fim do ano, a de Candiota Fase A, ambas no RS. A Frente Parlamentar vai trabalhar de forma convergente para ampliar essa discussão e fomentar a indústria de carvão nacional, dando condições para que ela se torne cada vez mais sustentável. “A Frente não vai medir esforços para impedir o fechamento das usinas. Elas serão modernizadas e adequadas para a produção”, anuncia Zancan.

NOVOS PROJETOS TERMELÉTRICOS A CARVÃO

SEIVAl (2 x 300 MW ), em Candiota-RS – com Licença de Instalação (*);

MPX SUL ( 2 x 363 MW ), em Candiota-RS – com Licença Prévia (*);

CTSUL ( 2 x 350 MW), em Cachoeira do Sul-RS – com Licença de Instalação em análise (*);

USITESC ( 440 MW ), em Treviso-SC – com Licença Prévia (*);

JACUÍ 1 (350 MW), em Charqueadas-RS (obra paralisada);

TERMOPAMPA (300 MW), em Candiota-RS / Seival (projeto em licenciamento).

(8) Projetos aptos a participar dos leilões A-5 promovidos pela ANEEL.

Usina Candiota III – em operação – 1.750 MW

[conteudo] =>

O deputado federal Afonso Hamm (PP-RS), que assume nesta terça-feira, a presidência da Frente Parlamentar do Carvão Mineral, recebeu em seu gabinete de Brasília, uma comitiva de parlamentares de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Os dois estados são os maiores produtores da matéria-prima e estão empenhados para que ocorram avanços na legislação.

A reunião contou com a presença do presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, deputado estadual, Pedro Westphalen, presidente da Assembleia de Santa Catarina, deputado Joares Ponticelli, deputado estadual Valdir Comin – presidente da Frente Parlamentar do Carvão Mineral de Santa Catarina e o deputado estadual Dóia Guglielmi, de Santa Catarina. A reunião também contou com a presença do presidente da Associação Brasileira do Carvão Mineral, Fernando Zancan e o empresário, Gerson Galvão Filho.

Leilão de energia A-5

Nesta terça-feira, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, anunciou que as usinas térmicas a carvão mineral irão fazer parte dos leilões de energia A-5. O ministro confirmou a possibilidade de realização do um leilão para carvão já no segundo semestre de 2013. Hamm comenta que desde 2009, as térmicas movidas a carvão estão proibidas de participar dos leilões de energia por conta de acordos internacionais. “Com a retomada dos leilões abre-se o mercado termelétrico com investimentos da ordem de seis bilhões de dólares, em projetos já licenciados ambientalmente e aptos a ingressar nos leilões A-5”, detalha.

Pedro Westphalen comemora esta notícia ressaltando que faz parte de uma mobilização conjunta dos vereadores, prefeituras, deputados, movimentos sociais e do empresariado. “O próximo passo é trazer para a pauta a produção de carvão mineral de maneira sustentável, viabilizada através de legislação adequada”, aponta.

O presidente da Frente relata que o encontro também foi para unificar as ações voltadas ao segmento e definir agenda para os próximos meses e assim, estabelecer a política para avançar os esforços. Uma das primeiras atividades é a reunião das Assembleias Legislativas do Rio Grande do Sul e Santa Catarina para tratar da legislação.

O tema tem fórum para desdobramentos a curto, médio e longo prazo. Está previsto para agosto o fechamento das usinas de São Jerônimo e, para o fim do ano, a de Candiota Fase A, ambas no RS. A Frente Parlamentar vai trabalhar de forma convergente para ampliar essa discussão e fomentar a indústria de carvão nacional, dando condições para que ela se torne cada vez mais sustentável. “A Frente não vai medir esforços para impedir o fechamento das usinas. Elas serão modernizadas e adequadas para a produção”, anuncia Zancan.

NOVOS PROJETOS TERMELÉTRICOS A CARVÃO

SEIVAl (2 x 300 MW ), em Candiota-RS – com Licença de Instalação (*);

MPX SUL ( 2 x 363 MW ), em Candiota-RS – com Licença Prévia (*);

CTSUL ( 2 x 350 MW), em Cachoeira do Sul-RS – com Licença de Instalação em análise (*);

USITESC ( 440 MW ), em Treviso-SC – com Licença Prévia (*);

JACUÍ 1 (350 MW), em Charqueadas-RS (obra paralisada);

TERMOPAMPA (300 MW), em Candiota-RS / Seival (projeto em licenciamento).

(8) Projetos aptos a participar dos leilões A-5 promovidos pela ANEEL.

Usina Candiota III – em operação – 1.750 MW

[8] => [palavra_chave] => [9] => S [publica] => S [10] => 0 [i_usuario] => 0 [11] => 2014-04-02 14:02:57 [dt_sistema] => 2014-04-02 14:02:57 [12] => [foto] => [13] => [capa] => )

Carvão nos leilões energéticos

02/04/2014

O deputado federal Afonso Hamm (PP-RS), que assume nesta terça-feira, a presidência da Frente Parlamentar do Carvão Mineral, recebeu em seu gabinete de Brasília, uma comitiva de parlamentares de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Os dois estados são os maiores produtores da matéria-prima e estão empenhados para que ocorram avanços na legislação.

A reunião contou com a presença do presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, deputado estadual, Pedro Westphalen, presidente da Assembleia de Santa Catarina, deputado Joares Ponticelli, deputado estadual Valdir Comin – presidente da Frente Parlamentar do Carvão Mineral de Santa Catarina e o deputado estadual Dóia Guglielmi, de Santa Catarina. A reunião também contou com a presença do presidente da Associação Brasileira do Carvão Mineral, Fernando Zancan e o empresário, Gerson Galvão Filho.

Leilão de energia A-5

Nesta terça-feira, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, anunciou que as usinas térmicas a carvão mineral irão fazer parte dos leilões de energia A-5. O ministro confirmou a possibilidade de realização do um leilão para carvão já no segundo semestre de 2013. Hamm comenta que desde 2009, as térmicas movidas a carvão estão proibidas de participar dos leilões de energia por conta de acordos internacionais. “Com a retomada dos leilões abre-se o mercado termelétrico com investimentos da ordem de seis bilhões de dólares, em projetos já licenciados ambientalmente e aptos a ingressar nos leilões A-5”, detalha.

Pedro Westphalen comemora esta notícia ressaltando que faz parte de uma mobilização conjunta dos vereadores, prefeituras, deputados, movimentos sociais e do empresariado. “O próximo passo é trazer para a pauta a produção de carvão mineral de maneira sustentável, viabilizada através de legislação adequada”, aponta.

O presidente da Frente relata que o encontro também foi para unificar as ações voltadas ao segmento e definir agenda para os próximos meses e assim, estabelecer a política para avançar os esforços. Uma das primeiras atividades é a reunião das Assembleias Legislativas do Rio Grande do Sul e Santa Catarina para tratar da legislação.

O tema tem fórum para desdobramentos a curto, médio e longo prazo. Está previsto para agosto o fechamento das usinas de São Jerônimo e, para o fim do ano, a de Candiota Fase A, ambas no RS. A Frente Parlamentar vai trabalhar de forma convergente para ampliar essa discussão e fomentar a indústria de carvão nacional, dando condições para que ela se torne cada vez mais sustentável. “A Frente não vai medir esforços para impedir o fechamento das usinas. Elas serão modernizadas e adequadas para a produção”, anuncia Zancan.

NOVOS PROJETOS TERMELÉTRICOS A CARVÃO

SEIVAl (2 x 300 MW ), em Candiota-RS – com Licença de Instalação (*);

MPX SUL ( 2 x 363 MW ), em Candiota-RS – com Licença Prévia (*);

CTSUL ( 2 x 350 MW), em Cachoeira do Sul-RS – com Licença de Instalação em análise (*);

USITESC ( 440 MW ), em Treviso-SC – com Licença Prévia (*);

JACUÍ 1 (350 MW), em Charqueadas-RS (obra paralisada);

TERMOPAMPA (300 MW), em Candiota-RS / Seival (projeto em licenciamento).

(8) Projetos aptos a participar dos leilões A-5 promovidos pela ANEEL.

Usina Candiota III – em operação – 1.750 MW

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351