Acesso Restrito
Array
(
    [0] => 1
    [i_empresa] => 1
    [1] => 282
    [i_conteudo] => 282
    [2] => 0
    [i_subarea] => 0
    [3] => 2014-02-13
    [dt_conteudo] => 2014-02-13
    [4] => Cobertor curto para todos os lados', diz Miriam Leitão sobre setor elétrico
    [titulo] => Cobertor curto para todos os lados', diz Miriam Leitão sobre setor elétrico
    [5] => O Globo
    [autor] => O Globo
    [6] => O Bom Dia Brasil tem mostrado os efeitos do calorão nos preços, os prejuízos na agricultura.
    [resumo] => O Bom Dia Brasil tem mostrado os efeitos do calorão nos preços, os prejuízos na agricultura.
    [7] => 

O Bom Dia Brasil tem mostrado os efeitos do calorão nos preços, os prejuízos na agricultura.

Este já é um verões mais secos, perdemos a temporada das chuvas e o nível dos reservatórios despencou.

A temporada das chuvas se estende até março, mas a melhor parte passou. Para se ter uma ideia: em 2012, que foi um ano normal de águas, nessa época de janeiro, fevereiro, o nível dos reservatórios chegou de 76% a 80%. E agora está – no Sudeste, que é onde tem a maior parte da produção energética no país, os reservatórios mais importantes – em 36%. Então, a gente já pode considerar esse período chuvoso já meio perdido. Quer dizer, mesmo que chova daqui até o final de fevereiro e março, já se perdeu uma parte grande dessa temporada.

Quais são as consequências para a economia dessa falta d’água? São três perigos. O primeiro é que essa redução nos reservatórios faz aumentar mais as termelétricas – que custam mais caro. Então, o governo tem que ficar naquele dilema: ou ele aceita o aumento da inflação ou aceita o aumento do gasto público.

Já estavam previstos R$ 9 bilhões para cobrir o custo extra de energia. Só que já se sabe que vai ser mais que isso. Então, o governo vai ter que tirar de algum lugar para botar nesse subsídio a energia ou então a inflação subir.

Mas tem mais uma complicação, a terceira complicação: é que essas termelétricas usam combustíveis, insumos que o Brasil importa, não é autossuficiente – óleo diesel, óleo combustível, gás e carvão; tudo está aumentando a importação. O carvão aumentou 10% a importação, o gás dobrou o custo da importação, nos últimos três anos.

Então, com isso tudo, você tem cobertor curto para todos os lados, quer dizer, você aumenta o déficit comercial, aumenta o rombo e a inflação pressionada. Tudo isso por causa desses problemas do setor elétrico.

O Globo - Bom dia Brasil - 13/02/2014

[conteudo] =>

O Bom Dia Brasil tem mostrado os efeitos do calorão nos preços, os prejuízos na agricultura.

Este já é um verões mais secos, perdemos a temporada das chuvas e o nível dos reservatórios despencou.

A temporada das chuvas se estende até março, mas a melhor parte passou. Para se ter uma ideia: em 2012, que foi um ano normal de águas, nessa época de janeiro, fevereiro, o nível dos reservatórios chegou de 76% a 80%. E agora está – no Sudeste, que é onde tem a maior parte da produção energética no país, os reservatórios mais importantes – em 36%. Então, a gente já pode considerar esse período chuvoso já meio perdido. Quer dizer, mesmo que chova daqui até o final de fevereiro e março, já se perdeu uma parte grande dessa temporada.

Quais são as consequências para a economia dessa falta d’água? São três perigos. O primeiro é que essa redução nos reservatórios faz aumentar mais as termelétricas – que custam mais caro. Então, o governo tem que ficar naquele dilema: ou ele aceita o aumento da inflação ou aceita o aumento do gasto público.

Já estavam previstos R$ 9 bilhões para cobrir o custo extra de energia. Só que já se sabe que vai ser mais que isso. Então, o governo vai ter que tirar de algum lugar para botar nesse subsídio a energia ou então a inflação subir.

Mas tem mais uma complicação, a terceira complicação: é que essas termelétricas usam combustíveis, insumos que o Brasil importa, não é autossuficiente – óleo diesel, óleo combustível, gás e carvão; tudo está aumentando a importação. O carvão aumentou 10% a importação, o gás dobrou o custo da importação, nos últimos três anos.

Então, com isso tudo, você tem cobertor curto para todos os lados, quer dizer, você aumenta o déficit comercial, aumenta o rombo e a inflação pressionada. Tudo isso por causa desses problemas do setor elétrico.

O Globo - Bom dia Brasil - 13/02/2014

[8] => [palavra_chave] => [9] => S [publica] => S [10] => 0 [i_usuario] => 0 [11] => 2014-02-21 15:27:52 [dt_sistema] => 2014-02-21 15:27:52 [12] => [foto] => [13] => [capa] => )

Cobertor curto para todos os lados', diz Miriam Leitão sobre setor elétrico

13/02/2014

O Globo

O Bom Dia Brasil tem mostrado os efeitos do calorão nos preços, os prejuízos na agricultura.

Este já é um verões mais secos, perdemos a temporada das chuvas e o nível dos reservatórios despencou.

A temporada das chuvas se estende até março, mas a melhor parte passou. Para se ter uma ideia: em 2012, que foi um ano normal de águas, nessa época de janeiro, fevereiro, o nível dos reservatórios chegou de 76% a 80%. E agora está – no Sudeste, que é onde tem a maior parte da produção energética no país, os reservatórios mais importantes – em 36%. Então, a gente já pode considerar esse período chuvoso já meio perdido. Quer dizer, mesmo que chova daqui até o final de fevereiro e março, já se perdeu uma parte grande dessa temporada.

Quais são as consequências para a economia dessa falta d’água? São três perigos. O primeiro é que essa redução nos reservatórios faz aumentar mais as termelétricas – que custam mais caro. Então, o governo tem que ficar naquele dilema: ou ele aceita o aumento da inflação ou aceita o aumento do gasto público.

Já estavam previstos R$ 9 bilhões para cobrir o custo extra de energia. Só que já se sabe que vai ser mais que isso. Então, o governo vai ter que tirar de algum lugar para botar nesse subsídio a energia ou então a inflação subir.

Mas tem mais uma complicação, a terceira complicação: é que essas termelétricas usam combustíveis, insumos que o Brasil importa, não é autossuficiente – óleo diesel, óleo combustível, gás e carvão; tudo está aumentando a importação. O carvão aumentou 10% a importação, o gás dobrou o custo da importação, nos últimos três anos.

Então, com isso tudo, você tem cobertor curto para todos os lados, quer dizer, você aumenta o déficit comercial, aumenta o rombo e a inflação pressionada. Tudo isso por causa desses problemas do setor elétrico.

O Globo - Bom dia Brasil - 13/02/2014

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351