Acesso Restrito
Array
(
    [0] => 1
    [i_empresa] => 1
    [1] => 233
    [i_conteudo] => 233
    [2] => 0
    [i_subarea] => 0
    [3] => 2013-11-11
    [dt_conteudo] => 2013-11-11
    [4] => Pedido de falência de controladas faz ações de MMX e Inepar desabarem
    [titulo] => Pedido de falência de controladas faz ações de MMX e Inepar desabarem
    [5] => InfoMoney
    [autor] => InfoMoney
    [6] => Com essa informação circulando no mercado, as ações de ambas as empresas despencaram: a MMXM3 caiu 7,25%, para R$ 0,64, e a INEP4 teve queda de 5,45%, para R$ 1,04
    [resumo] => Com essa informação circulando no mercado, as ações de ambas as empresas despencaram: a MMXM3 caiu 7,25%, para R$ 0,64, e a INEP4 teve queda de 5,45%, para R$ 1,04
    [7] => 

Com essa informação circulando no mercado, as ações de ambas as empresas despencaram: a MMXM3 caiu 7,25%, para R$ 0,64, e a INEP4 teve queda de 5,45%, para R$ 1,04

MMX Mineração (MMXM3) e Inepar (INEP4) viram notícias nada agradavéis na mídia nesta segunda-feira (11): fornecedores de suas controladas pediram a falência dessas empresas, a MMX Sudeste Mineração e a Inepar Iesa Projetos. Logo após essas notícias, a BM&FBovespa pediu esclarecimentos sobre esses pedidos.

Com essa informação circulando no mercado, as ações de ambas as empresas despencaram: a MMXM3 caiu 7,25%, para R$ 0,64, e a INEP4 teve queda de 5,45%, para R$ 1,04. Ambas as empresas trataram de esclarecer esse pedido: a MMX disse que "desconhece" esse pedido e a Inepar disse que a dívida cobrada pela empresa que pediu a falência já foi liquidada e a extinção é aguardada em breve.

A mineradora de Eike Batista esclareceu que ainda não recebeu nenhuma ação judicial da natureza de um pedido de falência - e que tomará as medidas legais para tornar improcedente qualquer pedido a respeito de uma falência. A MMX Sudeste era fortemente endividada, mas foi "salva" pelo acordo da empresa com o fundo árabe Mubadala e com o Trafigura.

Em meados de outubro, a empresa informou que o empresário Eike Batista cedeu o controle do Porto do Sudeste, o mais importante ativo da MMX, para os grupos em um acordo de 996 milhões de dólares que tirava as dívidas da MMX Sudeste de suas mãos e assegurava novo investimento no porto.

Pelos termos do acordo, a Trafigura e o Mubadala, o maior credor individual de Eike, terão uma participação de 65% na MMX Porto Sudeste, que está em fase final de construção e deve ter suas operações iniciadas em meados de 2014.

Santander - 11/11/2013

[conteudo] =>

Com essa informação circulando no mercado, as ações de ambas as empresas despencaram: a MMXM3 caiu 7,25%, para R$ 0,64, e a INEP4 teve queda de 5,45%, para R$ 1,04

MMX Mineração (MMXM3) e Inepar (INEP4) viram notícias nada agradavéis na mídia nesta segunda-feira (11): fornecedores de suas controladas pediram a falência dessas empresas, a MMX Sudeste Mineração e a Inepar Iesa Projetos. Logo após essas notícias, a BM&FBovespa pediu esclarecimentos sobre esses pedidos.

Com essa informação circulando no mercado, as ações de ambas as empresas despencaram: a MMXM3 caiu 7,25%, para R$ 0,64, e a INEP4 teve queda de 5,45%, para R$ 1,04. Ambas as empresas trataram de esclarecer esse pedido: a MMX disse que "desconhece" esse pedido e a Inepar disse que a dívida cobrada pela empresa que pediu a falência já foi liquidada e a extinção é aguardada em breve.

A mineradora de Eike Batista esclareceu que ainda não recebeu nenhuma ação judicial da natureza de um pedido de falência - e que tomará as medidas legais para tornar improcedente qualquer pedido a respeito de uma falência. A MMX Sudeste era fortemente endividada, mas foi "salva" pelo acordo da empresa com o fundo árabe Mubadala e com o Trafigura.

Em meados de outubro, a empresa informou que o empresário Eike Batista cedeu o controle do Porto do Sudeste, o mais importante ativo da MMX, para os grupos em um acordo de 996 milhões de dólares que tirava as dívidas da MMX Sudeste de suas mãos e assegurava novo investimento no porto.

Pelos termos do acordo, a Trafigura e o Mubadala, o maior credor individual de Eike, terão uma participação de 65% na MMX Porto Sudeste, que está em fase final de construção e deve ter suas operações iniciadas em meados de 2014.

Santander - 11/11/2013

[8] => [palavra_chave] => [9] => S [publica] => S [10] => 0 [i_usuario] => 0 [11] => 2013-11-13 14:13:33 [dt_sistema] => 2013-11-13 14:13:33 [12] => [foto] => [13] => [capa] => )

Pedido de falência de controladas faz ações de MMX e Inepar desabarem

11/11/2013

InfoMoney

Com essa informação circulando no mercado, as ações de ambas as empresas despencaram: a MMXM3 caiu 7,25%, para R$ 0,64, e a INEP4 teve queda de 5,45%, para R$ 1,04

MMX Mineração (MMXM3) e Inepar (INEP4) viram notícias nada agradavéis na mídia nesta segunda-feira (11): fornecedores de suas controladas pediram a falência dessas empresas, a MMX Sudeste Mineração e a Inepar Iesa Projetos. Logo após essas notícias, a BM&FBovespa pediu esclarecimentos sobre esses pedidos.

Com essa informação circulando no mercado, as ações de ambas as empresas despencaram: a MMXM3 caiu 7,25%, para R$ 0,64, e a INEP4 teve queda de 5,45%, para R$ 1,04. Ambas as empresas trataram de esclarecer esse pedido: a MMX disse que "desconhece" esse pedido e a Inepar disse que a dívida cobrada pela empresa que pediu a falência já foi liquidada e a extinção é aguardada em breve.

A mineradora de Eike Batista esclareceu que ainda não recebeu nenhuma ação judicial da natureza de um pedido de falência - e que tomará as medidas legais para tornar improcedente qualquer pedido a respeito de uma falência. A MMX Sudeste era fortemente endividada, mas foi "salva" pelo acordo da empresa com o fundo árabe Mubadala e com o Trafigura.

Em meados de outubro, a empresa informou que o empresário Eike Batista cedeu o controle do Porto do Sudeste, o mais importante ativo da MMX, para os grupos em um acordo de 996 milhões de dólares que tirava as dívidas da MMX Sudeste de suas mãos e assegurava novo investimento no porto.

Pelos termos do acordo, a Trafigura e o Mubadala, o maior credor individual de Eike, terão uma participação de 65% na MMX Porto Sudeste, que está em fase final de construção e deve ter suas operações iniciadas em meados de 2014.

Santander - 11/11/2013

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351