Acesso Restrito
Array
(
    [0] => 1
    [i_empresa] => 1
    [1] => 103
    [i_conteudo] => 103
    [2] => 0
    [i_subarea] => 0
    [3] => 2013-06-26
    [dt_conteudo] => 2013-06-26
    [4] => Grupo Glencore Xtrata faz oferta para comprar porto de Eike Batista
    [titulo] => Grupo Glencore Xtrata faz oferta para comprar porto de Eike Batista
    [5] => Raquel Landim
    [autor] => Raquel Landim
    [6] => A multinacional suíça Glencore Xtrata fez uma oferta pelo porto do Sudeste, que pertence à mineradora MMX do empresário Eike Batista.
    [resumo] => A multinacional suíça Glencore Xtrata fez uma oferta pelo porto do Sudeste, que pertence à mineradora MMX do empresário Eike Batista.
    [7] => 

A multinacional suíça Glencore Xtrata fez uma oferta pelo porto do Sudeste, que pertence à mineradora MMX do empresário Eike Batista. Os negociadores do grupo EBX consideraram o valor "ridículo" e recusaram, mas as negociações continuam.

Segundo a Folha apurou, Eike gostaria de vender uma fatia de sua participação na MMX, que inclui as minas e o porto, e hoje é de 59,3%.

Mas a Glencore insiste em comprar apenas o porto.

Outras duas empresas também manifestaram interesse pelo porto do Sudeste, mas até agora não fizeram ofertas firmes de compra.

O empresário, que já foi o sétimo homem mais rico do mundo, enfrenta uma crise de confiança desde que a produção da petroleira OGX ficou aquém do esperado.

Do início do ano até agora, as ações da MMX acumulam queda de 70%, fechando a R$ 1,25 ontem. No mesmo período, as ações da OGX caíram 79%, para R$ 0,80.

O grupo EBX fez uma parceria com o BTG Pactual para buscar sócios para as empresas. Eike já vendeu uma fatia na termoelétrica MPX para a alemã E.ON e colocou à venda o tradicional Hotel Glória, no Rio de Janeiro.

JOIA DA COROA

O porto do Sudeste, na Ilha da Madeira, em Itaguaí (RJ), é considerado uma das joias da coroa de Eike. A expectativa é que ele entre em operação no fim do ano, e 75% das obras já foram concluídas.

Contrasta com outras empresas do grupo EBX, que demandam altos investimentos para se tornarem operacionais -- e, por isso, despertam a desconfiança do mercado.

A projeção da MMX é que o porto do Sudeste atinja capacidade para 50 milhões de toneladas de minério de ferro por ano em 2014.

O investimento necessário é de R$ 2,4 bilhões.

Eike gostaria de encontrar um novo sócio estratégico para a MMX, a exemplo da chinesa Wisco e da coreana SK Networks, que juntas possuem 19,3% da companhia.

Os possíveis compradores, no entanto, estão receosos.

A MMX ainda não obteve a licença ambiental para construir a barragem de rejeitos necessária à expansão da unidade de Serra Azul (MG).

Os analistas do setor também duvidam que o projeto seja viável com o preço do minério abaixo de US$ 100 por tonelada. Hoje a cotação é de US$ 120 no mercado à vista, mas pode cair para o patamar de dois dígitos em um futuro próximo por causa da desaceleração da economia da China, o principal comprador global de minério.

Procuradas, MMX e Glencore não comentaram.

Em nota enviada à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a MMX afirma que avalia permanentemente oportunidades de negócio, "mas até o momento não há qualquer contrato assinado".

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/06/1298097-grupo-glencore-xtrata-faz-oferta-para-comprar-porto-de-eike-batista.shtml

[conteudo] =>

A multinacional suíça Glencore Xtrata fez uma oferta pelo porto do Sudeste, que pertence à mineradora MMX do empresário Eike Batista. Os negociadores do grupo EBX consideraram o valor "ridículo" e recusaram, mas as negociações continuam.

Segundo a Folha apurou, Eike gostaria de vender uma fatia de sua participação na MMX, que inclui as minas e o porto, e hoje é de 59,3%.

Mas a Glencore insiste em comprar apenas o porto.

Outras duas empresas também manifestaram interesse pelo porto do Sudeste, mas até agora não fizeram ofertas firmes de compra.

O empresário, que já foi o sétimo homem mais rico do mundo, enfrenta uma crise de confiança desde que a produção da petroleira OGX ficou aquém do esperado.

Do início do ano até agora, as ações da MMX acumulam queda de 70%, fechando a R$ 1,25 ontem. No mesmo período, as ações da OGX caíram 79%, para R$ 0,80.

O grupo EBX fez uma parceria com o BTG Pactual para buscar sócios para as empresas. Eike já vendeu uma fatia na termoelétrica MPX para a alemã E.ON e colocou à venda o tradicional Hotel Glória, no Rio de Janeiro.

JOIA DA COROA

O porto do Sudeste, na Ilha da Madeira, em Itaguaí (RJ), é considerado uma das joias da coroa de Eike. A expectativa é que ele entre em operação no fim do ano, e 75% das obras já foram concluídas.

Contrasta com outras empresas do grupo EBX, que demandam altos investimentos para se tornarem operacionais -- e, por isso, despertam a desconfiança do mercado.

A projeção da MMX é que o porto do Sudeste atinja capacidade para 50 milhões de toneladas de minério de ferro por ano em 2014.

O investimento necessário é de R$ 2,4 bilhões.

Eike gostaria de encontrar um novo sócio estratégico para a MMX, a exemplo da chinesa Wisco e da coreana SK Networks, que juntas possuem 19,3% da companhia.

Os possíveis compradores, no entanto, estão receosos.

A MMX ainda não obteve a licença ambiental para construir a barragem de rejeitos necessária à expansão da unidade de Serra Azul (MG).

Os analistas do setor também duvidam que o projeto seja viável com o preço do minério abaixo de US$ 100 por tonelada. Hoje a cotação é de US$ 120 no mercado à vista, mas pode cair para o patamar de dois dígitos em um futuro próximo por causa da desaceleração da economia da China, o principal comprador global de minério.

Procuradas, MMX e Glencore não comentaram.

Em nota enviada à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a MMX afirma que avalia permanentemente oportunidades de negócio, "mas até o momento não há qualquer contrato assinado".

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/06/1298097-grupo-glencore-xtrata-faz-oferta-para-comprar-porto-de-eike-batista.shtml

[8] => Eike batista, grupo glencor xtrata [palavra_chave] => Eike batista, grupo glencor xtrata [9] => S [publica] => S [10] => 0 [i_usuario] => 0 [11] => 2013-06-26 14:32:34 [dt_sistema] => 2013-06-26 14:32:34 [12] => [foto] => [13] => [capa] => )

Grupo Glencore Xtrata faz oferta para comprar porto de Eike Batista

26/06/2013

Raquel Landim

A multinacional suíça Glencore Xtrata fez uma oferta pelo porto do Sudeste, que pertence à mineradora MMX do empresário Eike Batista. Os negociadores do grupo EBX consideraram o valor "ridículo" e recusaram, mas as negociações continuam.

Segundo a Folha apurou, Eike gostaria de vender uma fatia de sua participação na MMX, que inclui as minas e o porto, e hoje é de 59,3%.

Mas a Glencore insiste em comprar apenas o porto.

Outras duas empresas também manifestaram interesse pelo porto do Sudeste, mas até agora não fizeram ofertas firmes de compra.

O empresário, que já foi o sétimo homem mais rico do mundo, enfrenta uma crise de confiança desde que a produção da petroleira OGX ficou aquém do esperado.

Do início do ano até agora, as ações da MMX acumulam queda de 70%, fechando a R$ 1,25 ontem. No mesmo período, as ações da OGX caíram 79%, para R$ 0,80.

O grupo EBX fez uma parceria com o BTG Pactual para buscar sócios para as empresas. Eike já vendeu uma fatia na termoelétrica MPX para a alemã E.ON e colocou à venda o tradicional Hotel Glória, no Rio de Janeiro.

JOIA DA COROA

O porto do Sudeste, na Ilha da Madeira, em Itaguaí (RJ), é considerado uma das joias da coroa de Eike. A expectativa é que ele entre em operação no fim do ano, e 75% das obras já foram concluídas.

Contrasta com outras empresas do grupo EBX, que demandam altos investimentos para se tornarem operacionais -- e, por isso, despertam a desconfiança do mercado.

A projeção da MMX é que o porto do Sudeste atinja capacidade para 50 milhões de toneladas de minério de ferro por ano em 2014.

O investimento necessário é de R$ 2,4 bilhões.

Eike gostaria de encontrar um novo sócio estratégico para a MMX, a exemplo da chinesa Wisco e da coreana SK Networks, que juntas possuem 19,3% da companhia.

Os possíveis compradores, no entanto, estão receosos.

A MMX ainda não obteve a licença ambiental para construir a barragem de rejeitos necessária à expansão da unidade de Serra Azul (MG).

Os analistas do setor também duvidam que o projeto seja viável com o preço do minério abaixo de US$ 100 por tonelada. Hoje a cotação é de US$ 120 no mercado à vista, mas pode cair para o patamar de dois dígitos em um futuro próximo por causa da desaceleração da economia da China, o principal comprador global de minério.

Procuradas, MMX e Glencore não comentaram.

Em nota enviada à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a MMX afirma que avalia permanentemente oportunidades de negócio, "mas até o momento não há qualquer contrato assinado".

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/06/1298097-grupo-glencore-xtrata-faz-oferta-para-comprar-porto-de-eike-batista.shtml

Rua Pascoal Meller, 73 - Bairro Universitário - CEP 88.805-380 - CP 362 - Criciúma - Santa Catarina
Tel. (48) 3431.8350/Fax: (48) 3431.8351